A GUERRA QUE SALVOU A MINHA VIDA - KIMBERLY BRUBAKER BRADLEY // A GUERRA QUE SALVOU A MINHA VIDA #01 // @DarkSideBooks

1 de jul. de 2019


A Guerra Que Salvou a Minha Vida (The War That Saved My Life) - Kimberly Brubaker Bradley
DarkSide Books || Tradução: Mariana Serpa Vollmer || Skoob
240 páginas || publicado em 2017 || A Guerra Que Salvou a Minha Vida 01


Ada é uma criança que sofre diariamente pelos maus cuidados de sua mãe, só porque possui o pé torto. Ela não tem permissão de sair de casa e divide seu tempo entre observar o mundo pela janela, cuidar da casa e de seu irmão mais novo. A guerra está chegando e por conta dos possíveis bombardeios de Hitler as crianças estão sendo evacuadas para o interior. Essa é a única oportunidade que Ada tem de finalmente sair de casa e ter uma vida melhor.

"Minha casa era uma prisão. Eu mal suportava o calor, o silêncio e o vazio." (p. 12)

Essa é mais uma leitura conjunta de que participei e que me fez conhecer uma história incrível. Pela sinopse eu já imaginei que iria gostar da história, mas nunca dava muita atenção à ela. Sinto que li no momento certo e a oportunidade de compartilhar os sentimentos da leitura com outras pessoas deixou a experiência muito mais especial.

Ada é uma criança incrível que nos cativa desde a primeira página. É impossível não se compadecer pelo seu sofrimento e os maus tratos causados pela sua mãe. Desde nova, aprendeu as durezas da vida e tenta superar os seus limites da melhor forma possível, sem auxílio nenhum. Apesar de ser rotulada de retardada e burra, é uma criança muito inteligente. Ama seu irmão Jamie condicionalmente e o carinho entre eles é muito bonito de ver. Jamie mesmo sendo novo também faz de tudo para cuidar da sua irmã e não a discrimina por ter um pé torto.

A ida para o interior é o início de uma vida nova para as duas crianças e lá elas são acolhidas pela Srta. Smith, que não as queria de início. Srta. Smith é muito reservada e está passando por um momento de luto, mal consegue cuidar de si mesma, quem dirá de duas crianças. Mas aos poucos as barreiras vão caindo e o desenvolvimento da relação desses três é lindo de acompanhar. Ver cada um baixando a guarda e se permitindo ser amado é muito intenso e me deixou emocionada em vários momentos.


Todos os personagens são bem marcantes e cada um acaba fazendo parte do desenvolvimento de Ada, Jamie e da Srta. Smith. A única pessoa que ganhou o meu ódio eterno foi a Mãe, com sua crueldade e frieza dedicada aos filhos.

Ada vai mudar muito ao longo da narrativa e isso começa quando ela conhece Manteiga, o cavalo que vive na propriedade da Srta. Smith. A partir desse relacionamento, ela vai começar a descobrir que seu pé torto não a impossibilita de ser uma criança normal. Sofri muito com o receio dela em se abrir e se permitir ser feliz. Fiquei com raiva em alguns momentos por ela ser tão arisca com as pessoas, mas fui entendendo as suas resistência, que são consequências da falta de amor e carinho desde a infância.

A guerra em si é o plano de fundo da história, apesar de alguns momentos ela ser bem explorada. O foco é realmente na vida das crianças, em principal a Ada e fiquei muito feliz de ter conhecido essa jornada. É uma história forte, triste, que nos emociona e nos fazer pensar sobre as dificuldades e problemas que passamos na vida. Ada tem uma força que nos inspira a ser melhores. Recomendo demais essa leitura e não vejo a hora de ler a continuação.

"Pois pra mim ela parece de verdade. Eu vi você no dia que saiu daquele trem. Parecia já estar enfrentando uma guerra." (p. 149)

Um beijo do coração, até!

Um comentário:

  1. Oi, Gabriela! Li esse livro faz um tempinho e também gostei muito! Livros ambientados nessa época sempre me emocionam. Ainda não li a continuação, mas já ouvi muitos comentários positivos a respeito.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir

Espero que tenha curtido a postagem! Volte mais vezes :D