O PALÁCIO DA MEIA-NOITE - CARLOS RUIZ ZAFÓN // TRILOGIA DA NÉVOA #02 // @SUMA_BR

20 de fev de 2019


O Palácio da Meia-Noite (El Palacio de la Medianoche) - Carlos Ruiz Zafón
Editora Suma || Tradutor: Eliana Aguiar || Skoob
272 páginas || publicado em 2013 || Trilogia da Névoa #02


Nessa história nós acompanhamos um grupo de amigos que cresceram juntos em um orfanato em Calcutá. Esses sete jovens estão prestes a completar 16 anos e a partir dessa idade eles são devolvidos à sociedade, já considerados adultos. Possuem um clube chamado Chowbar Society, onde se encontram no palácio da meia-noite para contar histórias e fortalecer o elo que os ligou desde cedo. No último encontro do grupo, eles conhecem uma jovem chamada Sheere, que acaba se tornando integrante da sociedade. A partir desse momento, eles irão se arriscar para solucionar o mistério de uma trágica história envolvendo Sheere e o criador dessa sociedade, Ben. 

"A Chowbar Society nasceu com duas missões imprescindíveis. A primeira, garantir a cada um de seus sete membros a ajuda, o apoio e a proteção incondicional dos outros, diante de qualquer circunstância, perigo ou adversidade. A segunda, compartilhar os conhecimentos que cada um de nós ia adquirindo e colocá-los à disposição dos outros, aparelhando-nos para o dia em que teríamos que enfrentar o mundo sozinhos." - pág. 45

Esse foi um livro que eu não sabia bem como falar sobre ele sem deixar passar algo da história (já que a própria sinopse que vem no livro já começa com um pequeno spoiler). De todos os livros do Zafón que eu li, esse foi o que eu tive mais dificuldades em ler, pois achei a história arrastada e até mesmo cansativa em alguns momentos, mas depois de um certo momento ela engrena de tal maneira que eu finalizei o livro com lágrima nos olhos e o coração apertado de amor e tristeza.

Vamos começar falando sobre esse grupo de amigos, tão diferentes entre si, mas que acabam se completando, cada um com sua particularidade. Ben, Ian, Roshan, Siraj, Isobel, Michael e Seth são jovens encantadores e me apeguei a todos eles, sem distinção. Alguns tem mais destaque que os outros, mas o elo da amizade que os uniu foi tão forte que é impossível não se apegar a esse grupo, incluindo Sheere que aparece depois e que da o ponto de partida na história.

Essa não é uma história feliz - o que acredito ser uma característica do autor, principalmente nos livros juvenis - mas ela não perde em beleza e simplicidade. Aqui nós temos um vilão que no início não entendemos a sua natureza, mas que a explicação final foi tão bem retratada que me deixou impactada. Apesar de a história focar na vida de Sheere e Ben, todos os outros protagonistas deixam a sua marca. A amizade deles é tão importante que eles nem chegam a medir o perigo para qual estão se jogando. 


Para mim, essa é uma história que fala sobre o amor, de família - tanto a que escolhemos como a que não escolhemos, e do elo que une as pessoas. É uma história linda e triste e que vai mexer com seus sentimentos. Como disse antes, achei o livro mais "fraco" dessa linha juvenil do autor, mas que ainda assim tem muito a nos contar e ensinar. Recomendo demais essa leitura para todos.

"É que nada é tão difícil de acreditar quanto a verdade e, ao contrário, nada é tão sedutor quanto a força da mentira, quanto maior for o seu peso. É uma lei da vida e caberá a vocês encontrar o equilíbrio justo." - pág. 113

Um beijo do coração, até!

9 comentários:

  1. Olá! Eu sou bem suspeita pra falar da escrita do Zafon, sou simplesmente apaixonada por ele! Estou adiando a leitura dessa trilogia tem tempo, e mesmo com seu ponto de vista sobre a história ser um pouco fraca em relação aos romances juvenis dele, eu tenho certeza que vou gostar, ainda mais sabendo que vou terminar com essa sensação agridoce no coração. Acho que todas as histórias dele devem ter isso de deixar a gente triste e alegre. Obrigada pela resenha!

    Bjoxx ~ Aline ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  2. Oi, Gabi.
    Eu gosto muito da escrita do Zafón, mas ainda não tive a chance de ler essa história. Bom saber que, apesar do começo mais lento e arrastado, a leitura engrena bem assim. Pelo menos já sei que não devo desistir logo de cara! Rs...
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  3. Todos os livros que li do autor tem mais um quê de fantasia mesmo. Sempre fala sobre amor e amizade, mas tem uma coisa sobre bonecos que parece que ele tem uma certa obsessão, mas este ainda não tinha lido!

    ResponderExcluir
  4. Olá...

    Acredito que não tive a oportunidade de ler esse livro ainda, mas o conhecia, claro. Gostei muito da sua resenha, principalmente da sua sinceridade. Porém, ele não faz muito o meu estilo de leitura, ultimamente tenho preferido mais livros com finais felizes.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oie, tudo bem? Eu não sabia que o autor já dava um spoiler logo na sinopse, bom saber hahaha. Acho que nunca li nada dele, mas só vejo comentários que me fazem questionar porque tô adiando tanto essa leitura. Adorei as fotos do post, ficaram lindas!

    ResponderExcluir
  6. Oi Gabi!
    Eu ainda não li nada do autor, mas leio só boas referências relacionadas a sua escrita, não gosto muito de finais que não sejam felizes mas aceito o meio termo kkk, fiquei impressionada com sua delicadeza em colocar em palavras os sentimentos envolvidos na trama, parabéns. Obrigado pela dica, bjs!

    ResponderExcluir
  7. Oi Gabi,
    O único livro "juvenil" que li do Carlos Ruiz Zafón foi O Príncipe da Névoa. Eu amo essa história que também tem uma narrativa simples e bela. Pretendo ler todos os livros "juvenis" do autor e vou começar pela sua dica. Estou com saudade.
    Beijos, André
    Garotos Perdidos

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Já peguei alguns livros assim, onde o começo é parado e o final flui super bem e emociona a gente.
    A história parece ser muito legal, com um tom de mistério muito bom. Não sei se leria por não ser algo feliz, acabo me apegando aos personagens e à mensagem que é passada, sei que ia me sensibilizar muito.
    Tentarei dar uma chance a esse livro e não desistir de ler por causa de seu começo.
    Abraços

    FLeituras

    ResponderExcluir
  9. Ola Gabriela lindona, ainda não li nada do autor, que bom que a leitura flui melhor depois de algumas páginas, no momento estou buscando leituras mais alegres, sem deixar meu coração em pedaços como o seu. Quem sabe em outro momento eu leia. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir

Espero que tenha curtido a postagem! Volte mais vezes :D