OPINIÃO || AS PRIMEIRAS QUINZE VIDAS DE HARRY AUGUST - CLAIRE NORTH || @bertrandbrasil

25 de set de 2017

As Primeiras Quinze Vidas de Harry August - Claire North

Original: The First Fifteen Lives of Harry August
Páginas: 448
Ano: 2017
Editora: Bertrand Brasil
Encontre aqui: Skoob, Amazon, Saraiva.

"Não dá para ganhar uma guerra que ninguém quer lutar."





Olá, pessoas. Eu sou fascinada por ficção-científica, principalmente quando envolve viagem no tempo. Então quando eu soube que esse livro tinha elementos de viagem temporal, fiquei louca para ler. Tudo o que eu sabia da história era que Harry August vivia, morria e voltava a nascer no mesmo tempo e lugar repetidamente. Não sabia como isso poderia se encaixar com meus temas favoritos, mas o trem da hype já tinha me pegado.

"A impressão é de que o máximo que sabemos fazer com o tempo é desperdiçá-lo." (p. 86).

Harry August é o nosso narrador e ele vai nos contar várias coisas sobre as suas quinze primeiras vidas (como podemos presumir pelo título). A sua primeira vida passa batida, como qualquer vida normal de todo ser humano na Terra. Até que ele chega na segunda vida e começa, a partir de então, a perceber que ele não vive de uma maneira normal. Eventualmente, ele entra em contato com o Clube Cronus e descobre que existem pessoas como ele e que elas se chamam kalachakra (ou ouroboranos). Um belo dia, bem antes de morrer de novo, Harry encontra uma menina que manda uma mensagem para ele: o mundo está acabando, e a culpa é de algum kalachakra.


Claro que o livro tem uns plot twists e cenas bem empolgantes, principalmente quando nosso protagonista está com o vilão. Mas o mais interessante para mim foi o que a maioria das pessoas não gostou, os percursos das vidas de Harry August. É a parte mais lenta da narrativa, e eu até consigo compreender o porquê de tanta gente não ter gostado, mas acho incrível ver as escolhas que ele toma em cada vida com base em todo o conhecimento que ele adquire ao longo dos anos. E é também nessas partes que percebemos o peso que é ser um ouroborano, por mais que pareça algo legal de primeira.

A narrativa não é linear. Uma hora ele está falando da quinta vida, aí passa para a décima, depois para a sétima, avança para a décima quarta, volta para a terceira e assim vai até o final. Então no começo pode ser um pouco confuso e que você não saiba exatamente onde o livro quer chegar. Depois vai fazendo mais sentido, não se preocupe. O contexto histórico é fascinante também. Harry August nasce em 1919, então ele acaba participando da Segunda Guerra Mundial, da Guerra Fria e de vários acontecimentos históricos ao redor do mundo.

"Apesar de que, já que está aqui, também gostaria de informar que é estúpida e ingênua essa ideia ridícula de que, se você gosta das pessoas, elas vão gostar de você de volta." (p. 291).

A escrita da autora é muito bonita e me encantou. Aparentemente, não só à mim, já que ela chegou a ganhar um prêmio com esse livro. Estou bastante curiosa para conferir outras obras dela, principalmente as que ela produziu sem esse pseudônimo. Meu único problema foi com o final. Eu até gostei, mas estava esperando um pouquinho mais (graças ao trem da hype). Mas isso não me impediu de adorar o livro e aproveitar todas as outras coisas maravilhosas presentes na leitura. Espero que gostem.

Livro recebido em parceria com a editora.

Abraços e até a próxima.

8 comentários:

  1. Oiiie!

    Fiquei curiosa. Não sou de ler Ficção cientifica, apesar de achar que aborda temas bem interessantes. Sua resenha conseguiu me deixar com vontade de ler esse livro e já vou conferir mais dele.

    beijos

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho muita vontade de ler livros assim Andréa, assisti um filme com o mesmo tema que era um homem o ator principal, sei que seria uma ótima pedida, principalmente para ver o que fazia nos dias, até que eram iguais.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Eu tbm gosto de ficção científica que envolve viagens no tempo, fico de boca aberta com a criatividade de quem escreve algo assim. Leria esse livro de buenas.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi Andréa! Já conhecia esse livro e confesso que ele me intimida demaaais... Essa coisa de narrativa não-linear é meio tensa, e eu me apego muito nos detalhes na hora de ler. Quase sempre fica uma leitura lenta e cansativa. Tiro isso por A Mulher do Viajante no Tempo, que é uma premissa parecida, de um cara que viaja no tempo pra vários momentos diferentes da própria idade. Mas isso não quer dizer que não fico interessado por Harry August, acho bem genial essa ideia. Tal dia lerei :)

    ResponderExcluir
  5. Hey, Andréa!

    Já li algumas resenhas sobre esse livro e a maioria delas foram bem elogiosas, mas eu já vi que esse livro não é pra mim.
    Não sou fã de ficção científica, nem a trama do livro me chamou a atenção.
    Vou deixar passar a dica.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oi! Sim, eu gostei muito da premissa desse livro e quero ler algum dia rsrs
    Assim como você, também adoro histórias de viagens no tempo, e essas pegadas de ficção científica. Não me incomodo com longas descrições ou se ele não segue um enredo linear, inclusive adoro, pois sai da mesmice de muitos livros que vemos por aí e já estão saturados.
    Obrigada pela dica!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oie
    adorei a capa, muito bonita e adorei também o enredo, mega interessante.Bom saber que a autora tem uma narrativa tão boa e que o livro é premiado, me deixou extremamente curiosa

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?
    Tenho visto muitas resenhas positivas sobre este livro, de início ele não me interessou muito porém ao conhecer melhor acho que vale muito a pena a leitura.
    Gostei muito da sua resenha!
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir

Espero que tenha curtido a postagem! Volte mais vezes :D