OPINIÃO || O HOMEM QUE CAIU NA TERRA - WALTER TEVIS || @DarkSideBooks

29 de mar de 2017

O Homem Que Caiu na Terra - Walter Tevis

Original: The Man Who Fell to Earth
Páginas: 224
Ano: 2016
Editora: DarkSide Books
Encontre Aqui: Skoob, Amazon, Saraiva, Submarino.*
*Comprando por esses links você ajuda o blog a crescer.

"Agora tenho medo. Terei medo de morrer aqui."





Olá, pessoas. Eu sou uma grande fã de David Bowie musicalmente e, principalmente, no impacto cultural que ele causou desde que ele ficou conhecido. Minha história com o nosso Starman vai longe, e eu poderia passar parágrafos e mais parágrafos contando todos os detalhes, mas vocês iam ficar entediados e não é isso que queremos. O importante é que, eu só conheci esse livro por causa do David Bowie. E essa cai mais uma vez na conta desse cara maravilhoso, que só me apresenta coisas lindas.


"Sua fé era baseada em um princípio de que não importa o que aconteça, tudo vai ficar bem; sua moralidade era de que cada um deveria decidir o que era melhor para si mesmo." (p. 69).

O livro começa com a chegada de Thomas Jerome Newton, um antheano, ao nosso planeta Terra. Ele tem uma missão importantíssima: conseguir salvar os últimos habitantes do seu planeta natal, trazendo-os para cá. Ele foi escolhido para realizar essa missão porque era o que apresentou ser mais adaptável o ambiente que seria encontrado aqui. E desse ponto em diante acompanhamos o nosso extraterrestre nessa jornada.

O grande tema desse livro é a solidão e o impacto que isso tem na vida de uma pessoa. O personagem principal é o Thomas Jerome Newton, e é fácil entender a solidão dele, tão longe de casa e com o destino de várias pessoas - sua família incluso - nas mãos. Mas as outras - poucas - personagens que acompanhamos são muito solitárias também. O advogado Oliver Farnsworth (que não tem tanto destaque), Betty Jo, uma mulher que o ajuda depois de um acidente e Nathan Bryce, um professor frustrado com o caminho da sua carreira também são pessoas muito sozinhas e que acabam se encontrando e formando um tipo de vínculo (mesmo que muito esquisito). O livro é em terceira pessoa, alternando entre a história de cada um deles (com foco maior no nosso querido antheano).


Eu não quero entregar muito da história. É bom atentar para o período histórico em que ele foi publicado originalmente. No auge da Guerra Fria, época em que os conflitos entre duas superpotências estava colocando o mundo em perigo. É um tema bem forte no livro o quanto nós, seres humanos, estávamos (e ainda estamos) destruindo o nosso planeta. Fica fácil de fazer a conexão. O ritmo do livro não é dos mais rápidos, mas combina com a história que está sendo contada. E uma vez que você entra na história, você mal percebe o tempo passar (são só 224 páginas).

Claro que depois que acabei de ler, tive que assistir o filme (até porquê, é onde o David Bowie aparece como Thomas Jerome Newton). Esse filme que inspirou meu muso a criar o Thin White Duke (uma das várias personas que ele adotou artisticamente) e o álbum Station to Station (que é uma coisa linda e eu recomendo fortemente para todo mundo)  A película tem um foco diferente do livro. A história é quase a mesma, mas o diretor quis passar uma mensagem diferente. Achei legal essa outra visão que o filme me proporcionou. Mas acho bom avisar que é um filme meio indie de 1976. O ritmo é lento, é outra forma de se fazer um filme. Tem uns toques meio psicodélicos, e faz uso de nudez de um jeito que eu não estava esperando (no livro temos insinuações de sexo e sensualidade, e não passa disso). Mas acho que vale muito a pena se você gosta de filmes antigos como eu (se não é muito a sua praia, você provavelmente não vai gostar).

"Ser de Marte para se sentir sozinho. Imagino que você já tenha se sentido sozinho muitas vezes, dr. Bryce. Se sentido alienado. Você veio de Marte?" (p. 106).

Acho que nem preciso comentar sobre a edição, a DarkSide sempre capricha muito. Capa dura, o livro inteiro trabalhado no preto, laranja e branco, diagramação boa, fitinha de cetim e um marca páginas com o carão maravilhoso do David Bowie. É um livro muito bom, com muitas reflexões interessantes e que ganhou um lugarzinho especial no meu coração. Espero que gostem.


Abraços e até a próxima.

26 comentários:

  1. Oi Andréa, infelizmente conheço pouco (pra não dizer nada) sobre David Bowie e apesar do livro ter uma história e tratar de um tema interessante, solidão, acho que não é muito a minha praia, o livro ou o filme, essa pegada indie geralmente não prende minha atenção. Mas curti a resenha, tenho certeza que trabalho da Darkside tá lindo e gostei das fotos ;)

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Conhecia o livro por nome, é uma pena não me prender atenção esse gênero... não seria um livro que eu leria de cara...
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi, Andréa!
    A trama de O Homem Que Caiu na Terra não me atraiu, sem falar que não curto livros com o ritmo lento, acho muito cansativos... o filme também não me interessou, não curto filmes antigos, por isso dificilmente eu leria O Homem Que Caiu na Terra...
    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. OI Andréa.
    Adorei saber que o livro tem um certo foco sobre solidão, nunca tinha parado para pensar dessa forma.
    Adorei a premissa a coisa toda dele cair na terra é bem bizarro de uma menira positiva, fiquei bastante curiosa para conferir.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Parece ser uma obra bacana, ainda mais pra quem é fã!
    Mas infelizmente, não sou muito chegada a esse gênero literário e por isso dessa vez vou passar esse livro rs.
    Mas fico contente que você aprovou a leitura :)
    A Dark vem arrasando nas edições né? Dá vontade de comprar os livros só pelas capas rsrs
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  6. Olá, Andréa! Quero mto ler esse livro. Aliás, é difícil um livro da DarkSide q não desperta meu interesse rs. As resenhas q pude ler até aqui me deixaram com a impressão de q a obra tem uma pegada mais filosófica do q voltada para sci-fi. Será? Posso estar enganada rs. Enfim, parece ser uma leitura incrível, com reflexões enriquecedoras e questionamentos interessantes.

    ResponderExcluir
  7. Queria muito conhecer essa história e ela parece muito boa pelas coisas que faz a gente pensar. E o legal é perceber que algumas coisas ainda não mudaram desde a época do lançamento, não é? Deve dar pra tirar muita coisa dele que até os dias hoje ainda vemos.
    A questão da solidão é o que mais achei interessante. De como o livro aborda e como mostra isso afetando a vida de uma pessoa. Como dá uma ideia.
    Vi muitos elogios pelo tom reflexivo da história e só por isso já me deu vontade de ler. Parece valer a pena mesmo. E achei legal que o filme acabe tendo esse tom um pouco diferente. Acaba ficando bacana ler o livro e ver o filme pra comparar as experiências. Gostaria de fazer isso.

    ResponderExcluir
  8. Oi Andréa :D
    Confesso que não conheço muito do Bowie(o que é um erro que preciso corrigir). Você tem alguma recomendação de por qual música/álbum começar a ouvir?
    Eu vi o lançamento desse livro, mas confesso que nem cheguei a ler a sinopse. Muito legal saber que tem um filme e vou ver se assisto ele pra ver se eu gosto a ponto de ler o livro.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Patrícia.
      Menina, se deixar eu passo o dia todo falando de David Bowie. Para começar depende do que você gosta, porque Bowie já fez música de tudo quanto é estilo musical possível kkkkkkkkkkk
      Meus favoritos são a Trilogia de Berlim (Low, Heroes e Lodger) e Station to Station que eu menciono na resenha. Mas esses não são tão fáceis de digerir e são profundamente enraizados com a vida do cantor. Tem o mais famoso de todos que é The rise and fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars, que foi o álbum que jogou a carreira dele na estratosfera. Young Americans e Scary Monsters (and Super Creeps) são mais chegados no soul. Let's Dance é meio dico music e super dançante. Blackstar, lançado ano passado é pesadíssimo, bem aquele disco para se jogar na bad. David Bowie tem 25 discos de estúdio, e todos com estilos muito diferentes. Vê o que você curte e se joga.

      Não sei se ajudei muito, mas é complicado indicar coisas para pessoas que eu não conheço direito. Desculpa qualquer coisa. Se você se empolgar e gostar de David Bowie, pode vir comentar <3
      Abraços.

      Excluir
  9. Andréa!
    Tenho muita vontade de ler o livro, primeiro porque é ficção genuína como costumo dizer, com extraterrestre e depois, porque assisti o filme no final dos anos 70, quando era bem fissurada pelo assunto ET.
    Amo o David Bowie ele é simplesmente magnífico. Já que gosta de filmes antigos, já assistiu Labirinto que também é protagonizado por ele e suas músicas?
    “Não há nada bom nem mau a não ser estas duas coisas: a sabedoria que é um bem e a ignorância que é um mal.” (Platão)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Gosto de filmes e livros com extraterrestres então fiquei interessada em ler, ainda mais que aborda a sobrevivência dos habitantes, esse assunto chama minha atenção nem sei bem porque, aliás acho que porque pode acontecer na realidade. O personagem deve ter um peso e tanto nas mãos é muita responsabilidade essa missão.

    ResponderExcluir
  11. Nunca li nada do autor e nem da editora. Não é um livro que eu pegaria para ler, mas se tivesse a oportunidade, talvez eu lesse. Mas gostei da abordagem da sobrevivência e da solidão. Gosto de livros que viram filmes.

    Visitem meu blog!
    garotaeraumavez.blogspot.com.br
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  12. Oi Andréa...
    Definitivamente essa edição da Darkside está maravilhosa... E também já estou doida para assistir ao filme... Adoro histórias que nos trazem lições para a vida e o tema solidão e o impacto que isso tem na vida de uma pessoa, com certeza vai mexer muito comigo... Espero poder ler muito em breve...
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  13. Oi, Andréa!
    Conhecia o livro apenas pelo título, não havia parado ainda para saber do que se tratava, e ainda que não seja muito o meu estilo, é interessante essa abordagem do cotidiano e consequente solidão de vários personagens - ainda que com foco no protagonista, claro - e tendo esse panorama da Guerra Fria, onde o ser humano estava mesmo destruindo o planeta e, como você bem ressaltou, continua fazendo-o nos dias de hoje, o que chega a tornar a leitura bem atual por esse tema. Apesar dos seus elogios, não é uma premissa que me chame realmente a atenção, mesmo tendo tão poucas páginas, mas se meu ritmo atual já decai de vez em quando, imagina em um livro desses... Mas que bom que você gostou! Valeu a dica mesmo assim!
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br ♥
    ♥ DandoUmadeEscritora.blogspot.com.br ♥

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Já tinha visto algumas pessoas comentarem sobre esse livro, mas ainda não tinha parado para ler a resenha dele, gostei muito dessa historia, principalmente por falar de uma forma tão diferente sobre a solidão, também gostei de todo esse contexto histórico que o livro tem e se tiver oportunidade quero ler, ainda mais não tendo tantas paginas !!

    ResponderExcluir
  15. Gosto bastante do trabalho de David, e não sabia que ele havia escrito um livro tão bacana como esse. Essa ideia de homem vir ao nosso planeta para salva os habitantes do planeta dele é interessante. Me supreendi ainda mais com David. Adorei saber tema desse livro seja solidão, por ele sempre desmostrou aos meus olhos que era solitario. Talvez por isso que tenha escrito abortando esse tema. Mas... então falando do personagem Thomas, achei legal bastante corajoso e esta pronto para arrisca qualquer coisa para bem maior. Enfim, amei capa tambem, fiquei bastante curiosa em relação ao livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Girlene.
      Não foi o Bowie que escreveu, ele interpretou o personagem no cinema :D

      Excluir
  16. Não conheço muito sobre Bowie, mas já lido sobre o filme. Começando pela primeira quote que vc citou, coisa mias verdadeira é impossível. Daí vc vai lendo a resenha e percebe que apesar de ficção é uma história bem verdadeira. Sim, apesar de todos os meios sociais que já já foram inventados, o ser humano é solitário. Sim, o ser humano destrói o próprio ambiente. Sim, o ser humano esgota seus recursos naturais. Enfim, fiquei curiosa e não importa se vai ser livros ou filme, mas um dos dois eu quero ver.

    ResponderExcluir
  17. Olá, vejo que o livro, além de contar com uma grande reflexão sobre solidão, também possui críticas sutis ao momento histórico no qual foi lançado, algo interessante e sempre bem-vindo. Beijos.

    ResponderExcluir
  18. Oi, Andréa!
    Não conhecia muito do livro mais pelo que li a história e bem legal!! Fiquei muito curiosa para conhecer mas sobre a história!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  19. Oie, tudo bem?
    Apesar de curtir histórias com essa pegada, não rolou química entre mim e esse livro.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  20. Oi Andréa!
    Vi o filme a uns três anos só porque é protagonizado por David Bowie e como uma boa fã do Starman e de filmes indie gostei bastante. Esse livro já está na minha lista a um tempinho, mas essa é a primeira resenha que leio dele, não sabia que foi lançado à tanto tempo e nem que a trama era alternada entre a história de três personagens. Adorei a resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  21. Quero super ler!
    Achei a capa linda!
    Dark Side arrasa!
    Adorei a resenha. Primeira que leio dele!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  22. Em muitos momentos eu me sinto sozinha, mas em poucos eu não gosto do sentimento rs.
    Acho que eu nunca tinha percebido que é o Bowie na capa. Apesar de só conhecer uma ou duas músicas dele, conheço uma pessoa que amaria a leitura!
    A Darkside arrasa mesmo nas edições, uma pena que nem sempre as revisões sejam bem feitas. Que bom que curtiu a leitura! Acho que eu não leria...

    Beijos

    ResponderExcluir
  23. Fico feliz que tenha gostado do livro mana e que a editora tenha caprichado nessa edição a=mas eu tenho que dizer que esse livro é bem especifico pra quem realmente foi fã do cantar, o que não é meu caso porque eu não recordo nenhuma música dele, então pra mim a leitura não séria tão proveitosa e por isso vou dispensar essa leitura.

    ResponderExcluir
  24. Tenho uma implicânciazinha com essa editora, confesso. Mas ela acerta em algumas publicações que chega dar gosto, porque esse livro foi todo pensado no desejo do fã e em como atrair o público que gosta do David. Eu compraria, não compro porque não tenho dinheiro rs. Ótima resenha, bjs

    ResponderExcluir

Espero que tenha curtido a postagem! Volte mais vezes :D