OPINIÃO || À PROCURA DE AUDREY - SOPHIA KINSELA || @galerarecord

5 de fev de 2017

À Procura de Audrey - Sophia Kinsela

Original: Finding Audrey
Páginas: 336
Ano: 2015
Editora: Galera Record
Encontre Aqui: Skoob, Amazon, Saraiva, Submarino.

"- Então quer dizer que sou um ruibarbo?
- Por que não? Se ruibarbo precisa de um tempo no escuro, talvez você também precise."




Oi madies, tudo bem? Hoje vim falar sobre um livro bem amorzinho e que eu juro não ter imaginado que ia curtir tanto assim.

Nossa protagonista é Audrey, uma adolescente de 14 anos que sofreu bullying recentemente na escola e desde então parou de estudar e faz tratamento psicológico. Sua mente é um turbilhão e as coisas não parecem que vão melhorar tão cedo. Ela tem medo de olhar nos olhos das pessoas, por isso usa óculos escuro o tempo todo e não consegue conversar com desconhecidos de jeito nenhum. Até que um dia ela começa a interagir com Linus, amigo de seu irmão. E é através desse contato inesperado que a mente e a vida de Audrey começam a tomar outros rumos.

"O problema é que a depressão não vem com sintomas práticos como pintinhas pelo corpo e febre, portanto não se percebe de primeira. Continua-se dizendo 'estou bem' para as outras pessoas, ainda que não esteja. Você pensa que deveria estar bem. Segue repetindo para si mesmo: 'por que não estou bem?'" (p. 32)

Antes de eu falar o quando adorei esse livro, preciso confessar uma coisa: eu não gostava da Sophia Kinsela. Sério, acho os livros dela com a temática chick-lit um saco, e sempre imaginei que nada que essa mulher fosse escrever iria me agradar. Eu estava errada, muuuito errada.

Audrey é o tipo de adolescente que a gente adora antes mesmo de conhecer. Ela não está num momento bom de sua vida. Desde que sofreu bullying na escola, vive o tempo inteiro em casa (de preferência na sala e no escuro) e só sai para as sessões de terapia com a Dra. Sarah. Ela tem medo de basicamente tudo, e a única pessoa com quem consegue olhar nos olhos é o seu irmão de 4 anos, Felix. Um dia, Linus, que é amigo de seu irmão Frank, vai até a casa deles para jogarem Land of Conquerors e ele cumprimenta Audrey, que em um acesso de pânico, sai correndo. Mas Linus tem ido a sua casa com mais frequência e a pedido de seu irmão, ela tenta não surtar perto dele. Com isso, os dois começam a manter contato e é a partir desse novo membro em seu círculo de convivência, que Audrey começa a mudar.


A família de Audrey merece um grande destaque aqui. Eles foram a minha maior fonte de riso durante toda a história. Eu ria tanto que não conseguia ler em público, e isso nunca aconteceu comigo. Anne (a mãe) é fissurada no jornal Daily Mail e tudo que está escrito lá, ela encara para a vida. O assunto que rege toda a história é o fato de seu filho mais velho Frank estar ficando viciado em jogar, e ela não sabe o que fazer. Chris (o pai) sempre da apoio ao que Anne fala, porque ninguém consegue contrariá-la e essas brigas familiares um tanto quanto loucas é o que deixa o clima da história bem mais ameno. Eu amei toda essa família, que apesar de todas as loucuras, sempre estavam lá uns pelos outros. 

Linus, é o nosso crush da adolescência. Extremamente fofo, desde o início entendeu as limitações de Audrey e sempre fez com que ela conseguisse superar os seus limites. É nítido a importância dele diante de todo o crescimento da Audrey e o romance que existe entre eles começa de uma forma natural e muito bonitinha.

Mas apesar desse ar leve e engraçado que o livro tem, a depressão é o foco principal. O livro é narrado em primeira pessoa, então nós nos sentimos dentro de Audrey, vendo como cada crise acontece e o quando amedrontador isso é. Ver o esforço dela de superar tudo o que passou é motivador, e apesar de Linus ter sido o pontapé inicial desse mudança, nada teria acontecido se ela não se esforçasse para isso.

Eu me encantei com cada parte dessa história, desde o foco na depressão e no bullying, as relações familiares e o romance. Tudo se entrelaça de uma maneira natural, e é isso que faz a história funcionar.

"- Mas, Audrey, a vida é assim. Estamos todos em um gráfico de altos e baixos. Sei que eu estou. Subo um pouco, desço um pouco. É a vida." (p. 310)

Recomendo a leitura para todos que gostam de um Young Adult (Jovem Adulto). É uma leitura fluída, que se você tiver tempo, consegue fazê-la em apenas um dia (como foi o meu caso). É uma história que vai te surpreender e fazer o seu coração um lugar mais feliz. Audrey é adolescente, e por conta disso comete alguns erros. Mas ela também evolui e junto de sua família e Linus, transforma o seu futuro para algo melhor. É motivador, emocionante e feliz. E claro, trás ensinamentos que todos os adolescentes deveriam agregar para suas vidas. 

Espero que vocês leiam essa história e desfrutem dela tanto quanto eu. Fazia muito tempo que eu não me empolgava tanto com um livro a ponto de terminá-lo em apenas um dia. Fazia mais tempo ainda que eu não me divertia tanto com uma história. O livro me fez bem, sinto que li no momento certo da vida, e espero que vocês também tenham essa mesma sensação. 


Beijos e até a próxima

Me siga nas redes sociais
Facebook  Instagram  Twitter  Skoob  TVShow Time  Filmow  Deezer

30 comentários:

  1. Oi Gabi, ao contrário de você eu já amo os livros da Sophie, ela sempre consegue me fazer rir com romances são leves e as mocinhas atrapalhadas, e gostei de saber que mesmo saindo um pouco do Chick Lit a Sophie ainda trás uma história divertida através do Young adult. Já vou incluir esse livro na lista e assim que tiver a oportunidade vou querer conferir ;)

    ResponderExcluir
  2. Achei interessante pelo fato de ter um foco na depressão. Tenho familiares que já tiveram problemas com isso e acho interessante de ler coisas assim. Também gostei dessa família da Audrey, parece que a gente ri bastante com esse pessoal.
    Mas confesso que não dei muita moral pra esse livro quando vi. Tinha achado muito leve, não muito meu estilo de história e por isso não tive vontade de ler. No fim das contas acho que gostaria da história, parece que é de uma pegada mais leve mas também tem graça e fica bom de acompanhar. Só teria que pegar no momento certo...

    ResponderExcluir
  3. Achei que encaixa no estilo chick list e apesar de ter curiosa nunca li nada da autora. Achei interessante e parece bem divertido.

    ResponderExcluir
  4. Gabi!
    Sempre gostei muito dos chick lits da Sophie, sem dou boas risadas.
    Não li esse livro ainda, mas gostei de ver que aborda temas importantes como a depressão e bullying, e, gostei mais ainda de ver que a família, apesar de um tanto diferente, está ao seu lado para apoiá-la, é tão importante isso...
    Sem contar com o romance, deve ser bem delicado.
    Desejo uma semana alegre e feliz!
    “Um saber múltiplo não ensina a sabedoria.” (Heráclito)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  5. Oi Gabi,
    Legal saber que finalmente gostou de um livro da Sophia Kinsela. Todo mundo te perturbava quando você dizia que não gostava dos livros dela e que não achava graça [risos]. Mas, gosto é assim mesmo! Tem gente que ama um determinado livro enquanto outros odeiam. Nunca li nada dela. Os únicos chick-lit que li foram os da série Perdida, da Carina Rissi. Gostei bastante. Mas não sei se vou gostar de outros. Tenho que descobrir.
    Beijos, André
    Garotos Perdidos || Participe do sorteio de 2 livros

    ResponderExcluir
  6. Oi Gabriela!
    Nunca li nada da Sophie Kinsela, e eu penso a mesma coisa que tu pensava ate ler o livro: é um saco. Mas ja que tu gostou, acho que não custa dar uma lida e conhecer a escrita da autora. Gostei de saber que ele é divertido ao ponto de tu dar risadas e não ler em publico hahaha Adorei a resenha, beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi, Gabriela!!
    Nossa li recentemente esse livro. Amei a leitura!! E um livro muito engraçado, fofo e divertido!! Esse foi o primeiro livro que li da Sophia Kinsela e gostei tanto que já estou lendo outro dela!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  8. Oi Gabriela!
    Eu não sou tão fã de Chick-lits, mas adoro a escrita da Sophie Kinsela. Esse ainda não li, mas tenho visto boas resenhas, parece super divertido como geralmente são as histórias dela. Fiquei bastante curiosa para poder ler esse, principalmente pela família da protagonista, acho que famílias loucas sempre tem nos livros da Sophie. Que bom que mesmo sem gostar você se deu a chance de ler esse livro e se divertir bastante!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Nunca li nada da autora, porém achei legal o fato do livro focar na depressão. Conheço pessoas que tiveram\tem esse problemas e considero que esse tema precisa ser mais abordado seja em livros, tv ou escolas. Sua resenha está maravilhosa.

    ResponderExcluir
  10. Momento confissão: também tenho um pouuuco de preconceito com autoras desse gênero, parecem cenas sem sentido e só usam o humor para conquistar o humor. Por isso só leio livros assim quando estou procurando livros leves, sem aprofundamento

    Gostei do enredo, uma menina com o psicológico abalado por conta do julgamento, e adorei quando você destacou que o foco é a depressão, acho importante ler sobre isso. Não me incomodo com humor, se ele não for forçado, o que parece ser o caso, então estou com expectativas.

    ResponderExcluir
  11. Oi :)
    Eu li esse livro no comecinho do ano passado e adorei a leitura! Eu gostei do modo que a Sophie tratou assuntos sérios e acho que é uma boa leitura pra todos, principalmente pra meninas nessa faixa de idade.
    Sério que você não gosta dela?? Eu sou apaixonada por essa autora! Meus preferidos são Menina De Vinte e O Segredo de Emma Corrigan. Já leu?

    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Ainda não li nenhum livro da autora, mas esse é bem recomendado e tenho vontade de ler, vou gostar da família dela pois adoro dar risadas enquanto leio. O tema abordado é importante pois faz parte do nosso dia a dia, que bom que ela encontrou Linus e ficaram amigos e que surgiu um romance entre eles. É uma historia que deve deixar o leitor suspirando e analisando as atitudes da sociedade.

    ResponderExcluir
  13. Oie!
    Eu já conhecia resenhas do livro, mas ainda não tive oportunidade de conhecer mais de perto, gostei do enredo, pretendo ler em breve...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  14. Adorável, estou louca por esse livro loucaaaaaa, acho que me vejo em cada um dos personagens.
    Sexo, Fraldas e Rock'n Roll

    ResponderExcluir
  15. Olá, adoro quando acompanhamos o personagem se desenvolver em um livro, este é um desses. Com um tema clássico e super atual é impossível não gostar dessa obra. Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. Eu nunca li nada da escritura e por isso nunca procurei saber mais sobre esse livro. Mas mana assim a gente percebe o que bullying faz com uma pessoa, eu mesmo hoje ainda tenho pânico de falar em público por causa do bullying da infância. E a personagem ainda lida com depressão que não é uma coisa fácil de ser tratada e muito menos identificada. Eu vou te dizer que olhando pela capa eu não dava pelo livro mas agora tiro meu chapéu para a escritura. Entrou na lista de desejados

    ResponderExcluir
  18. Os livros da Sophia Kinsella são muito amor,traz aquele sorriso leve.
    Tenho vontade de ler A Procura de Audrey a sinopse chamou minha atenção,gosto de temas envolvendo depressão entre outras questões psicológicas.

    ResponderExcluir
  19. Sério que você não gostava dos livros da Sophie Kinsella?? Eu sou super fã de todos os livros da autora <3
    Eu gostei muito desse livro, eu não tinha tanta expectativa de gostar dele por ser bem diferente da maioria dos livros da autora, mas o livro me surpreendeu muito! Também gostei muito da família da Audrey, e da forma como o romance foi acontecendo.
    Mas o livro realmente é ótimo, adorei a leitura dele :D

    Beijos!

    ResponderExcluir
  20. Oi.
    Eu ainda não tive o prazer de ler nada da autora, mas adorei a premissa desse livro, principalmente por retratar um assunto que apesar de ser uma contante ainda é um taboo na nossa sociedade que é o bullying, eu adorei o que descreveu da personagem e já gostei dela sem nem ler o livro, amo livros que fluem e nos prende a leitura, irei ler com certeza.
    Boa Noite.

    ResponderExcluir
  21. Oi, Gabriela!
    Então, eu meio que tenho uma opinião parecida com a sua sobre os livros da Sophie Kinsella em geral. Por mais divertidos que aparentem ser, já tentei começar um ou outro livro e nunca consegui me envolver ou gostar realmente da narrativa ou mesmo das protagonistas dela. Sei lá, eu gosto muito de romances, mas o chick-lit em especial é um estilo que não me cativa com muita facilidade, a menos que seja da Carina Rissi, rs. Enfim, baseado nisso, ainda que seja um young adult, não tive muito interesse em Audrey, mas também cheguei a ler os capítulos iniciais e, realmente, ao menos em comparação aos demais da autora, me diverti um pouco e a narrativa fluiu bem pelo ponto de vista da Audrey. A mãe dela realmente é uma comédia em sua relação com o Daily Mail, rs, mas acabei pausando a leitura porque não estava em um ritmo de leitura bom na época e não retomei até hoje. Espero, se der, conseguir dar uma chance melhor à história esse ano. A questão da depressão e do bullying precisam ser discutidos nos dias atuais, mas alternando essa abordagem com seriedade e um pouco de bom humor também fica mais fácil mesmo se deixar conhecer um pouco à respeito. Parabéns pela ótima resenha!
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br ♥

    ResponderExcluir
  22. eu nunca li nada da kinsella mas eu achei bastante legal ela ter coragem de escrever algo fora do "normal" dela
    eu estou louca para ler esse livro, são tantos elogios. achei interessante que a autora faz tudo fluir de maneira natural
    espero ler em breve, adorei a dica!

    ResponderExcluir
  23. Oi, tudo bom?
    Gostei da resenha, eu ainda não li nada da Kinsella, mas sempre vejo muitos elogios, o livro parece ser muito bom, e acredito que irá me envolver, gosto quando temos os acontecimentos de forma natural, nada de forçado, espero ter a oportunidade de ler em breve.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  24. Oi!
    Peguei uma vez um livro da Sophia Kinsela para ler, mas não sei se por não ser o livro certo da autora ou o momento certo, foi um livro que não gostei, lendo a resenha fiquei curiosa sobre esse livro dela, achei interessante o tema que ela trabalha e a forma que temos essa situação afeta a vida da Audrey, achei legal temos um lado mais leve na historia e se tiver oportunidade quero ler esse livro !!

    ResponderExcluir
  25. Audrey como você disse na resenha é uma personagem que ama logo de cara. E triste essa realidade bullying, este livro mostra uma das consequência de quem sofrer com isso. Acho importante a participação de livro com realidade atual, e acredito que ajuda não somente a gente entende melhor sobre isso, mas também como ajudar as pessoas que sofrem.

    ResponderExcluir
  26. Oi Gabi...
    Ainda não li nada da Sophie... Esse livro parece ser uma leitura leve e bem divertida... Fiquei super curiosa para ler e conhecer de perto a evolução de Audrey ao longo da história e a mistura de sentimentos que deve acontecer com ela...
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  27. Gabi,que resenha maravilhosa,quero para ontem esse livro *-* faz muitoo tempo que não leio mais um Young Adult (mais precisamente desde os 16 anos,mas nemm faz tanto tempo assim,já que ainda estou com 20 anos),e ando doida atrás de um nesse estilo,com um romance gracinha e uma protagonista simpática,e ainda sim tratando de um tema sério e recorrente...Acredita que tenho um amigo igual á ela,que não consegue conversar com a gente olhando nos olhos? Ele é da minha faculdade,e nem com os professores ele conversa olhando nos olhos..têm hora que chega até a ser engraçado,ele só conversa com a gente de perfil para não nos olhar...acabamos até acostumando..perguntei uma vez por que ele nunca olhava ele disse que tinha vergonha,não gostava...mas enfim,fiquei super curiosa com esse livro,ainda mais pela família dela,eu adorooo um livro mais leve e que tenha uma família do barulho,onde podemos dar boas risadas..me lembra muitooo os livros que lia com 14/15 anos...E sem falar que eu gosto bastante dessa autora...Seu relato sobre ela me faz pensar que nunca devemos desistir de um autor por apenas não gostarmos de um livro dele,coisa eu geralmente faço,fico com a primeira impressão e não dou outra chance,mass ando melhorando nisso e minha leitura atual é de uma autora que o primeiro livro que li eu odiei e esse agora estou simplesmente amando e quero ler tudo dela agora ahahaha

    Bjuss

    ResponderExcluir
  28. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  29. Olá, Gabi!!
    Confesso que não conhecia essa autora, nem as suas obras, mas gostei desse livro, e parece ser uma ótima escritora. Vou pesquisar mais sobre ela, e saber mais dos livros...
    Amei a resenha, e esse livro parece que combina comigo, pois sou uma adolescente, e preciso descobrir mais sobre o mundo (mesmo sendo através dos livros).
    Abraço!

    ResponderExcluir
  30. Ai meu Deus!
    Que livro mais lindo.
    Eu amoooo os livros da Sophia!
    Acho sempre eles engraçados, divertidos e muito envolventes.
    Mas falta eu comprar esse!
    Tenhho que ler ele rápido!

    ResponderExcluir

Espero que tenha curtido a postagem! Volte mais vezes :D