OPINIÃO || COBRA NORATO - RAUL BOPP || @editorarecord

11 de out de 2016

Cobra Norato - Raul Bopp

Páginas: 96
Ano: 2016
Editora: José Olympio
Encontre Aqui: Skoob, Amazon, Saraiva, Submarino.


"Não-diz-nada pra ninguém. 
Se o sol aparecer ele me engole."




Olá, pessoas. A recomendação de hoje é um poema épico. Tenho certeza que quando ouvem sobre isso, a primeira coisa que vem na cabeça de vocês é Ilíada, Odisseia, Eneida ou até mesmo Os Lusíadas. E é mais ou menos isso que vamos ter aqui, só que mais curto e com uma linguagem bem diferente.

Aqui, no poema de Raul Bopp, vamos conhecer um pouco de uma lenda amazônica da Cobra Norato (pode ser chamada de Cobra Grande também, mas vou me ater no nome escolhido pelo poeta). Só que nosso autor vai repaginar o folclore com uma versão dele. Existe um heroi que se apossa da pele da Cobra Norato para conseguir superar os obstáculos da floresta e conseguir casar-se com a filha da rainha Luzia.


"Já tem noite nos seus olhos de não-te-lembras-mais-de-mim Tajá". (p. 53)

É importante que vocês saibam que é uma obra modernista. Lembra da Semana de 22, e os ideais que foram pregados na época? Esse poema nasceu disso. Tanto que a dedicatória é para Tarsila do Amaral (que também é mencionada nos últimos versos e eu achei isso a coisa mais fofa). Raul Bopp era do Rio Grande do Sul, mas gostava muito de viajar e conheceu vários lugares tanto no Brasil quanto fora. E se apaixonou pela Amazônia, a floresta sem fim e suas lendas. Começou a escrever Cobra Norato para crianças, mas depois tomou outro rumo e virou o poema épico que estou apresentando para vocês.

Há uma comparação constante com Macunaíma, e eu até entendo que há um eco aqui. Mas como eu tenho uma birra sem tamanho com esse livro de Mário de Andrade (eu sei, que absurdo, uma letrista que não gosta de Macunaíma), acho que o poema do Bopp é bem mais interessante. A forma como o poeta vai construindo os versos e descrevendo a geografia da Amazônia é fascinante, parece que estamos de fato no meio da floresta junto com o nosso heroi. E pode acrescentar aqui a minha paixão por poesia que acaba falando mais alto também.



A linguagem do poema pode dar um pouco de trabalho porque usa muitas palavras regionais, mas vale a pena o esforço, porque estamos falando de uma obra que usa a floresta amazônica como pano de fundo. Mesmo que você fique com o pé atrás por causa da linguagem utilizada, não se preocupe: o poema é curto, tendo cerca de 60 páginas nessa versão. As outras são introdução, biografia e obras escritas do autor.

Eu realmente acho que as pessoas em geral deveriam ler mais poesia. Por isso, sempre que posso, enfio uma resenha de livro de poemas aqui no blog para ver se consigo aguçar a curiosidade ou convencer alguém de que vale a pena dar uma chance para o gênero lírico de vez em quando. Nesse caso, ainda aprendemos um pouquinho mais desse nosso Brasil, não só de maneira linguística, mas também uma nova visão sobre uma lenda nossa que é bem interessante (eu, por exemplo, nunca tinha ouvido essa, e me lembrou bastante do Boto Cor-de-Rosa). Espero que gostem.


Livro recebido de cortesia em parceria com a editora.

  

Abraços e até a próxima.

20 comentários:

  1. Eu confesso ser uma dessas que não lê muita poesia, embora eu goste não é um gênero que procuro ler. Gostei deste livro, da lenda apresentada, eu também não conhecia. Gostei muito da resenha, mas não sei se no momento leria, eu gosto de clássicos, mas poesia neste estilo ainda não consigo ler...rs... Quem sabe um dia me arrisque.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  2. Oii Andrea!! Eu li esses dias uma resenha do livro, essa eh a segunda, pra ser sincera eu gostei mto por se tratar de poesias tbm, sem contar q a escrita tá mto bom...Tenho vontade de ler sim!
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi, Andrea!
    Concordo com você de que a poesia devia sim ser mais valorizada, mas confesso que eu mesma não tenho o costume de ler não...
    Enfim, a poesia do livro pode não me atrair, mas a lenda amazônica com certeza! Nasci e moro em Belém do Pará e já conhecia a história da Cobra Grande de várias formas (em muitas músicas, por sinal), e por isso adoraria ler em formato de poesia, acho que por tratar disso, a poesia me prenderia mais.

    ResponderExcluir
  4. Não tenho muito hábito de ler poesia, mais achei esse livro bem interessante e fiquei bem curiosa em conhecer um pouco mais sobre a lenda amazônica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Andrea!
    Precisamos diversificar nossa leitura e sair do lugar comum.
    Conhecer poema épico na modernidade com adaptação literária feita pelo autor, deve tornar o livro bem interessante e atrativo.
    “Prefiro os erros do entusiasmo à indiferença da sabedoria.” (Anatole France)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de OUTUBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. gosto muito de ler poesias porem acho um pouco difícil, pois podemos não saber interpretar o que o autor queria . lendas são incríveis (pela cultura trazidas com elas ) e nunca tinha ouvido falar dessa . concordo as poesias têm que ser mais lidas

    ResponderExcluir
  7. Oi.
    Gostei da indicação, porém infelizmente tenho que assumir que não curto muito poemas não, na maioria das vezes eu não entendo, mas enfim essa infelizmente não é uma leitura para mim.
    Boa Tarde.

    ResponderExcluir
  8. E se eu te falar que fiz uma peça sobre Cobra Norato?
    Sério! Vou na escola no ano passado. Foi muito bom.
    Amo esse livro, a peça ficou muito legal.
    Bateu até uma saudade agora!!!!
    Ótimo post!!!

    ResponderExcluir
  9. Eu sou uma grande fã de poesia, mas leio pouco porque entendo pouco. É triste confessar isso, mas é a verdade. Já ouvi falar sobre esse livro, mas fico pensando na difucldade de entender a história... Vou passar a dica, infelizmente.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Andrea,
    Não tenho o costume de ler poesia, sempre achei esse tipo de obra uma leitura difícil, pois nem sempre consigo compreender tudo o que a obra tem a oferecer. Mas estou sempre buscando sair da minha zona de conforto, então vou anotar a dica e quem sabe ler mais pra frente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Mudar um pouco das nossas opções é muito bom, não sou fã de poemas, mas curto alguns, esse livro vou ler algum dia.

    ResponderExcluir
  12. De vez em quando dou uma olhada em alguns poemas soltos pela internet. Quando vejo falando em livros ou coisa assim. Adoro!
    A ideia de repaginar a história e dar um ar mais do autor parece interessante. Acho legal quando fazem coisas assim. Gostaria de ver o resultado.
    Só que a linguagem é o que pesa em alguns. Tem uns que fico um tempo procurando entender as palavras, pesquisando significados e coisa assim para entender melhor e esse acho que daria um trabalhinho se for desse jeito. Mas a dica é boa e penso que gostaria de ler.

    ResponderExcluir
  13. Confesso que eu não leio muito poesi, mas ache muito interessante a premissa desse poema historia. A ideia de repaginar a história e dar um ar mais do autor é interessante. Acho daora coisas assim.

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Mesmo esse não sendo o tipo de livro que gosto de ler fiquei bem interessada nessa historia, ainda não conhecia o Raul Bopp mas gostei de temos uma poema épico que conta um pouco de nossa cultura e fiquei curiosa para conhecer melhor essa lenda. Também achei muito fofo ele mencionar a Tarsila do Amaral !!

    ResponderExcluir
  15. Sou difícil de ler poemas, devido a linguagem, que muitas vezes é difícil e até sem sentido pra mim rs. Tem alguns que a linguagem é mais simples que até gosto. Apesar da linguagem dar um pouco de trabalho até que me interessei ainda mais por ser tratar da Amazônia não tem como não gostar.

    ResponderExcluir
  16. Poemas são textos enormes escritos em poucas palavras.sério estou com vários livros de poemas pra ler e eles sempre acabam no depois. Mas essa resenha me deixou curiosa pelas histórias infantis. Espero que ele escreva. Contos e lendas brasileiros são deliciosos quando contados para crianças..

    ResponderExcluir
  17. Ótima resenha, por ser bem pequeno podemos lê-lo bem rapidamente, entretanto não é uma temática que me agrada. Se algum dia eu ler será após uma ressaca literária.

    ResponderExcluir
  18. Não conhecia o livro nem o autor, e confesso que não faz meu estilo de leitura, simplesmente não gosto de poemas e não consigo ler .Mas adorei a diagramação e resenha.

    Bj
    http://www.meupassatempoblablabla.com

    ResponderExcluir
  19. Já acho esse tipo de leitura difícil pra mim, falta um pouco de experiência, mas acho bacana. Beijoca!

    ResponderExcluir
  20. Eu já gostei mais de poesia do que eu gosto hoje em dia, eu confesso. Porém, me encantou saber desse poema. Eu nunca nem tinha ouvido falar sobre ele!!! Vou procurar saber mais agora mesmo!!!

    ResponderExcluir

Espero que tenha curtido a postagem! Volte mais vezes :D