OPINIÃO || SUZY, LED ZEPPELIN E EU DE MARTIN MILLAR

28 de jun de 2016



Suzy, Led Zeppelin e Eu - Martin Millar

Original: Suzy, Led Zeppelin and Me
Páginas: 176
Ano: 2015
Editora: Edições Ideal
Encontre aqui: Skoob || Buscapé






Olá, pessoas. O livro sobre o qual vamos conversar hoje eu escolhi pelo título. Estava numa livraria, vi Led Zeppelin de todo tamanho na capa e perturbei minha irmã para ela me dar de presente porque eu estava sem dinheiro nenhum para comprar. O Led Zeppelin é a minha banda favorita de todos os tempos e, se eu pudesse, teria tudo do grupo. Infelizmente, minha situação financeira não me permite excessos, então me contento com ouvir suas músicas com bastante frequência e ler uns fatos interessantes aqui e ali. Ah, e claro, implorar para minha irmã no meio da livraria para ela me presentear com um livro que eu nem sabia sobre o quê era. Mas vamos ao que interessa.

"A gente não tinha definido ainda a diferença entre amor e tesão, o que era compreensível. A gente só tinha quinze anos. Muita gente nunca define essa diferença." (p. 16).

Martin Millar escreve uma narrativa sobre uma parte da sua vida como um  adolescente escocês que vai no show da sua banda preferida, o Led Zeppelin, e também sobre todos os eventos concomitantes da sua vida na época: sua paixão por Suzy, sua amizade com Greg (que também é apaixonado por Suzy), sua idolatria por Zed ( que é namorado da Suzy), sua vida escolar cheia de bullying e coisas comuns na vida de qualquer adolescente. O narrador é o protagonista com cerca de 40 anos, logo o livro se passa em dois tempos: 1972, quando Led Zeppelin foi tocar em Glasgow; e o presente, em que ele está relatando essas histórias para sua amiga Manx, que está deprimida e sempre parece um pouco melhor quando ele conta os causos da vida dele para ela.

"Eu entendo isso. As pessoas estão sempre competindo por coisas estranhas, coisas que não importam para ninguém além delas. Competições de livros. Competições de bebês. Na escola eu estava sempre tentando deixar meu cabelo mais comprido que o do Greg." (p. 96).

É um livro autobiográfico, apesar de eu não saber ao certo até onde é real e até onde são coisas que ele acrescentou para a história ficar mais interessante, já que o objetivo é ser uma narrativa e não uma biografia. E é curioso ver que as coisas não são diferentes na vida de um adolescente escocês em 1972 e os adolescentes de hoje. O bullying de alguns colegas (e ele até repetindo o mesmo comportamento com outras pessoas), as fantasias, as paixonites, o fanatismo por uma banda (que você pode trocar por um ator, filme, enfim, qualquer coisa pelo qual você era fascinada/o na escola), o desejo de fazer parte de um grupo, os pensamentos meio babacas, etc. Está tudo aqui. E mesmo que você não goste do personagem principal (tipo eu, achei ele babaca além da conta), não tem como não se identificar em algum momento.




O que mais me ganhou foi a relação do menino com o Led Zeppelin. Era como se a banda fosse a tábua de salvação dele para aguentar a escola e todas as outras coisas que o deixavam irritado ou triste. Na minha época de escola minha banda favorita era o Green Day e eu me sentia assim também, como se eles sempre tivessem uma música certa para a situação na qual eu estava passando. Como eu disse, adolescentes são adolescente em qualquer lugar, em qualquer tempo. Só fiquei meio na bad porque nunca pude ir ver um show de uma banda que amava, tanto o Green Day quando eu era mais nova, quanto o Led Zeppelin hoje em dia.

"Você sente ou não sente. Igual a qualquer tipo de música. O mesmo que qualquer tipo de arte. Você sente ou não. O mesmo que amar. Ninguém pode te convencer. Você ama ou não ama. Não vou tentar mudar a cabeça de ninguém." (p. 160).


Martin Millar tem uma escrita ágil, e os capítulos do livro são muito curtinhos, tendo no máximo umas três páginas. A tradução está bem legal e tem notas de tradução atrás do livro, o que dá uma ajudinha caso você não saiba de um termo ou outro que não tenham tradução exata para o português ou se quiser entender as letras das músicas do Led Zeppelin que ele coloca de vez em quando. E, é bom deixar claro, você não precisa nem conhecer a banda para entender o que se passa na história. Espero que gostem.


Abraços e até a próxima.

19 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. achei a resenha bem legal mas não me interessei pelo livro , não conheço muito de musica nem de bandas esse é o motivo da minha falta de interesse . apesar disso estou gostando muito desse top comentarista, pois estou conhecendo muitos livros e ao mesmo tempo estou tendo a chance de ganhar um

    ResponderExcluir
  3. Acho super bacana quando alguém encontra um livro com uma referência que a pessoa gosta, infelizmente eu não tenho muita sorte quanto a isso :/
    Achei o título do livro bem curioso, mas a premissa dele não me chama atenção. E apesar de parecer que retrata muito bem a fase da adolescência e discutir temas importantes como o bullying, acho que ele não tem nada de muito inovador. Enfim, esse eu vou deixar passar... beijo!

    ResponderExcluir
  4. Legal a resenha, eu nunca fui de ter uma relação assim com bandas, na infância geralmente o que tocava e toca lá em casa são as musicas bregas dos meus pais.
    Ouvindo rádio acabo ouvindo de tudo um pouco e as vezes nem sei de que banda é a musica.

    ResponderExcluir
  5. Ainda não li nada com relação a bandas, não sou uma grande fã de Led Zeppelin mas gosto de algumas músicas, o mais interessante é que o livro tratou de vários temas, com esse toque autobiográfico, é muito interessante ver a história de alguém que consegue forças através de seus ídolos, quero muito ler esse livro, parece ser muito rápido e gostoso de ler

    ResponderExcluir
  6. Eu não gostei.. Acho que não leria.. Mas concordo com você, todo mundo tem uma banda que te "entende" na adolescência hahaha

    ResponderExcluir
  7. A capa realmente chama nossa atenção. Principalmente para quem é fã do Led Zeppelin como você. :)
    E realmente os anos passam,mas as dúvidas,os sentimentos, o fascínio por um cantor ou ator continuam em todas as gerações.
    Gosto de livros que retratam esse "mundo" juvenil.
    Se surgir uma oportunidade vou ler.

    ResponderExcluir
  8. Não vou mentir, não tenho muita experiencia com tema adolescência, ou melhor, não conheço muitos livros com o tema principal a mente de um adolescente e as experiencias dessa época, acho que o único que li foi "Yanque Delgado que quebrar a sua cara" e assisti "As vantagens de ser invisível", mas mesmo assim a capa meio que me ganhou, não conheço muito de Led Zeppelin, apenas uma música ou outra, mas essa ligação do menino com a banda pareca bem legal. Se para mim parece interessante imagina pra um fã da banda, ainda não tive essa sorte de achar um livro que tenho como elemento principal uma banda que eu goste Ç_Ç

    ResponderExcluir
  9. Oi Andrea!
    Gostei bastante da capa, e acredito que por ter poucas páginas, seja uma leitura rápida. Creio que pra quem é fã da banda Led Zeppelin com certeza vai se identificar com a leitura. Achei bem legal ter essa passagem de tempo na estória. Não sou muito de ler autobiografia, mas me interessei por esse. Quem sabe mais pra frente tenha a oportunidade de conhecer a obra.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Oi Andrea.
    Não fiquei com vontade de ler esse livro. Não sou fã da banda e a história parece ser um pouco juvenil, não sei. Também não gostei da capa.
    Os capítulos são realmente bem curtos, no máximo 3 páginas? Isso deve ter deixando a leitura bem fluida.

    ResponderExcluir
  11. Eu amooo músicas e tenho uma playlist gigantesca no celular, mas confesso que não conhecia essa banda e ,só pelo título,talvez não comprasse o livro, porém a resenha está bem.legal e aguçou meu interesse.


    www.emcadapágina.com

    ResponderExcluir
  12. Andrea, eu confesso que até então eu não conhecia a banda, Led Zeppelin. Porém, por saber o quanto você é fã, procurarei mais informações e até mesmo ouvir suas músicas.
    O livro parece ser encantador! Principalmente para você que é uma grande fã. Além de ser autobiográfico, a história apresenta ser muito interessante por abordar diversos temas, como o bullying, a parte difícil da vida de um adolescente e as suas superações.
    Adorei ler a sua resenha!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  13. Oi Andrea
    Confesso que já ouvi falar de Led Zeppelin, mas não me interessei pelo livro. Apesar de abordar temas interessantes como bullyng, não achei interessante. Ma sua resenha ficou ótima dá pra ver que vc gosta do assunto.
    Bj
    http://www.meupassatempoblablabla.com/

    ResponderExcluir
  14. vc que é fã de led zeppelin deve ter olhado a capa e se apaixonado! achei interessante a ideia de narrar os fatos da vida com relação a paixão pela banda. todo mundo passa por uma dessas =) como eu não sou muito fã de biografias acho que vou deixar passar

    ResponderExcluir
  15. Oi!
    Ainda não conhecia esse livro, mas achei interessante o tema que o autor trata no livro mesmo sendo uma biografia, acaba que nos leitores nos identificamos com a historia !!

    ResponderExcluir
  16. Eu não conhecia este livros, mas achei super interessante como retrata a vida de um adolescente, pretendo ler e acredito que irei gostar deste livro.

    ResponderExcluir
  17. Vish... Não conhecia esse livro, nem essa banda.
    Confesso que também não sou lá grande fã de livros autobiográficos, então esta indicação irei deixar passar!

    ResponderExcluir
  18. Eu também era meio fanática por bandas e músicos, na verdade ainda sou, mas eu era a fangirl que sonhava se casar com eles. Aí chegou a minha era pop e purpurina e eu só queria curtir as farofas, agora que voltei pras bandas novamente hahaha Eu também amava Green Day e tenho uma sensação muito boa quando escuto as músicas, parece que volto para aquelas época kkkkkkk. Não conheço o Led Zeppelin, mas com certeza já ouvi esse nome. Acho que a história do livro me interessa, pq até acho legal essa temática de um adolescente na escola passando por esse período confuso da vida. É bem refrescante de ler.

    ResponderExcluir
  19. oooi!
    okay, tenho 15 anos e não escutei nenhuma música do Led Zeppelin, conheço, já vi várias referências em livros, séries e filmes porém nunca ouvi, eu sei, chega ser deprimente né? Tenho certeza que o livro é bom contudo só pra aqueles que CONHECEM e gostam da banda ou até mesmo aqueles que queiram conhecer.
    bjs xxx

    ResponderExcluir

Espero que tenha curtido a postagem! Volte mais vezes :D