OPINIÃO || OS AFOGADOS E OS SOBREVIVENTES DE PRIMO LEVI

3 de jun de 2016




Os afogados e os Sobreviventes - Primo Levi

Páginas: 168
Ano: 2016
Editora: Paz & Terra
Encontre aqui: Skoob || Buscapé

*Livro cedido em parceria com a editora





Olá, pessoas. Hoje vim trazer para vocês esse livro pesadíssimo, mas muito, muito necessário. Minha história com a Literatura de Testemunho começou na graduação com uma amiga que fez IC nesse tema e por isso fui fazendo matérias, lendo vários livros e trabalhos sobre, etc. E foi em uma dessas matérias que conheci Primo Levi, lendo É isto um homem?. Fiquei uma semana tentando digerir aquele relato, e isso me atingiu de uma maneira ímpar. Mas o de hoje é um pouco diferente do primeiro livro de Levi, e vou explicar para vocês o motivo.

Os afogados e os sobreviventes é um livro escrito por Primo Levi e publicado em 1986, quase 40 anos depois da publicação do seu primeiro livro, É isto um homem?, de 1947. Digo isso porque nessa obra mais recente, Levi vai revisitar algumas coisas do seu primeiro relato. Em É isto um homem?, nosso autor escreve sobre o tempo que passou no campo de concentração de Auschwitz. E, para mim, foi um dos livros mais dolorosos de ler que já passou pelas minhas mãos. Sendo publicado em 1947, só tinha se passado dois anos do fim da Segunda Guerra Mundial e da libertação dos judeus que sobreviveram ao massacre que Hitler promoveu. Mas com Os afogados e os sobreviventes é um pouco diferente. Nesse livro temos um Primo Levi mais velho, maduro, fazendo observações depois de muitos e muitos anos das coisas horríveis que aconteceram.

"Seja qual for o fim dessa guerra, a guerra contra vocês nós ganhamos; ninguém restará para dar testemunho, mas, mesmo que alguém escape, o mundo não lhe dará crédito. Talvez haja suspeitas, discussões, investigações de historiadores, mas não haverá certezas, porque destruiremos as provas junto com vocês. E ainda que fiquem algumas provas e sobreviva alguém, as pessoas dirão que os fatos narrados são tão monstruosos que não merecem confiança: dirão que são exageros da propaganda aliada e acreditarão em nós, que negaremos tudo, e não em vocês. Nós é que ditaremos a história do Lager." (p. 7).

Esse livro não me pegou tanto pelo emocional quanto o primeiro. Claro, ainda me deu aquela sensação de agonia e me provocou diversas reflexões tanto quanto o outro. Mas essa análise, até por ter sido escrita tanto tempo depois, é mais geral e mais fria, se detendo em questões maiores. Enquanto no É isto um homem? Primo Levi nos narra o dia-a-dia do campo de concentração, as torturas, a fome, as humilhações, seus pensamentos, e se detém em pessoas e situações específicas da sua vivência; em seu outro livro ele discute o Holocausto como um todo a partir do ponto de vista da pessoa que sofreu com tudo aquilo. Ainda é pessoal, porque é a visão e experiência do autor, mas não tão pungente quanto em seu primeiro livro.




Minha parte preferida foi o capítulo final, em que o escritor nos apresenta alguns trechos de cartas que recebeu de alemães depois da publicação do seu livro na Alemanha. A gente consegue verificar como pensavam alguns alemães logo depois do fim da guerra. E é interessante saber que com algumas dessas pessoas Primo Levi se correspondeu por vários anos depois, criando até um certo tipo de amizade com elas.

"Repito-o: a culpa verdadeira, coletiva, geral, de quase todos os alemães de então foi não ter tido a coragem de falar." (p. 149).

Mesmo que eu tenha falado tanto sobre É isto um homem?, não é necessário ter lido ele antes de realizar a leitura de Os afogados e os sobreviventes. Todas as partes que Primo Levi menciona do primeiro livro são bem contextualizadas, não vai causar confusão ou dúvida no leitor. Mas, pessoalmente, eu acho que é interessante se você já tiver lido o outro. Você consegue sentir a maturidade na escrita, como ele se detém em outros pontos, e até comprova quando ele relata a volubilidade da memória. O necessário mesmo é ler sobre esse assunto, para não esquecer desse monstruoso acontecimento na história da humanidade e acabar repetindo os mesmos erros.




Abraços e até a próxima.

25 comentários:

  1. Oi, Andrea. Tudo bem?
    Já ouvi diversas vezes falar sobre o autor, Primo Levi, e de suas obras, mas jamais tive uma oportunidade de lê-los. Porém, lendo a sua resenha do segundo livro, confesso que aguçou a minha curiosidade. Gosto de histórias que retratam a guerra, principalmente quando se trata de fatos reais. Percebo o quanto as duas obras te tocou profundamente e não posso deixar de conferir essas histórias. Sei que o Primo Levi irá me surpreender de uma forma inexplicável.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Que livro pesado
    Gostei do tema, para conhecermos mais sobre os acontecimento da época e conhecer mais as dores do personagem, mentais e físicos, livros assim sempre contem uma ótima reflexão, pois retratam algo triste, mas que é real, fiquei curiosa nesse livro, acho que lerei primeiro É isto um homem? para sentir essa tal diferença na narrativa

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Já vi diversas resenhas desse livro em outros blogs e ,como vc disse , o assunto abordado é mesmo muito pesado,mas de uma reflexão ímpar. Não resta dúvidas de que o livro mexe muito com os sentimentos e tem uma carga emocional altíssima...

    www.emcadapágina.com

    ResponderExcluir
  4. Oiii
    Ainda não tinha ouvido falar desse livro e ele não e meu tipo de leitura,mas Posso futuramente estar lendo ele.
    gostei muito da resenha.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Olá!!
    Participar do top comentarista é fantástico porque você enriquece ainda mais sua lista de leituras. Eu sou uma pessoa que gosta de ler mais livros de fantasia, então fica um pouco claro o porquê de não conhecer o autor mem o livro. Acho necessário realmente as pessoas lerem e conhecer sobre o assunto, o holocausto, como você deixou essa observação na resenha. Afinal,se conhecermos toda a crueldade do passado não deixaremos que nada parecido a isso possa se repetir! Com certeza irá para minha lista de leituras para abranger meu conhecimento sobre o tema já que nunca li um livro que aborda algo assim.Vai ser uma nova experiência!

    ResponderExcluir
  7. Quero muito ler esse livro e pretendo ler também ''É isto um homem?''.
    Na minha opinião, é importante saber os erros cometidos no passado para que assim não haja a possibilidade de repeti-los novamente. Os tempos de guerra eram realmente sombrios. Já vi alguns relatos de pessoas que sobreviveram ao holocausto e era realmente muito triste a situação em que eles viviam.

    ResponderExcluir
  8. É importante sabermos desses relatos, mais não é o tipo de leitura que faria ultimamente pois é um tema muito carregado

    ResponderExcluir
  9. nunca tinha ouvido falar sobre esse livro mas gosto de temas desse modo ,que nos ajudar e nos faz refletir. mostra também a horrenda realidade passada pelas pessoas que viviam naquela época . apesar de ser um história triste traz uma lição para que isso nunca mais se repita

    ResponderExcluir
  10. Podemos ler quantas vezes forem necessárias,mas saber dos relatos dos sobreviventes dessa atrocidade,nos deixam sempre apavorados.
    Sinceramente não sei se no momento teria coragem de ler esse livro(principalmente o primeiro), mas quem sabe um dia!?

    ResponderExcluir
  11. Oi Gabriella, já faz um tempo que eu li a resenha de É isto um homem?, e por causa do tema abordado e da maneira como o autor parece ser expressa, acabei o colocando na minha lista. Eu ainda não conhecia esse seu outro livro e também já o adicionei na lista, visto que os dois meio que se complementam. E concordo com você, assuntos como esse devem ser lidos, discutidos, debatidos, para que esse erro não ocorra novamente.
    Amei a resenha, beijo!

    ResponderExcluir
  12. Oi Andrea!
    Esse é um dos momentos mais difíceis da humanidade.
    Não conhecia o livro, mas esse é um assunto que muito me interessa. Por mais doloroso que seja a leitura, é com certeza uma reflexão muito necessária. Só através desse tipo de leitura é que temos uma pequena noção do horror e da dor que a guerra trás.
    Devemos nos conscientizar pra não cometermos os mesmos erros.
    abraço!

    ResponderExcluir
  13. Andrea
    Os livros parecem intensos. O primeiro livro do autor deve ter uma carga emocional muito grande, já que trata-se sobre o tempo que passou no campo de concentração de Auschwitz, que sabemos ter sido um dos piores horrores mundiais, eu não sei se tenho carga emocional para isso. O segundo me pareceu mais fácil para mim, mas não é o tipo de leitura que procuro no momento. Ótima resenha.
    abraços
    http://www.lerparadivertir.com/

    ResponderExcluir
  14. Oi tudo bem..
    Ainda não li nem tinha lido nada sobre esse livro(o que é um pecado)pois lendo a sua resenha adorei a história do livro,parece ser bem interessante e mesmo que possa ler antes do primeiro,é sempre bom ler em sequencia pra ter um melhor intendimento..ótima resenha.
    um abraço e muito sucesso :)

    ResponderExcluir
  15. Que massa! Li O Diário de Anne Frank recentemente, e me emocionei bastante, fiquei realmente tocada. E pensar em ler um livro que trás o relato dos acontecimentos dentro do Campo de Concentração é perturbador, mas também é instigante. Gostaria de Lê-lo!

    ResponderExcluir
  16. primeiro, obrigada por avisar q apesar de ser "uma sequencia" dá para ler sem ler o outro, isso é sempre uma dúvida minha.
    segundo nossa esse livro parece ser muito pesado, os relatos e tudo mais, das crueldades da segunda guerra. sem falar q uma analise depois de tanto tempo deve ser interessante até para ver como a vida do autor evoluiu
    mas vc disse que o é isto homem pegou mais vc pelo emocional do que esse
    qd tiver tempo vou ler, mas acho q começar pelo o primeiro

    ResponderExcluir
  17. Oi Andrea.
    Fiquei bastante interessada em ler Os afogados e os sobreviventes e É isto um homem?, pois gosto ler histórias sobre acontecimentos reais. O holocausto foi algo que nos marcou profundamente, que mudou gerações.
    O primeiro livro parece ser mais profundo e pessoal, ao relatar o dia a dia e as torturas. Deve ser pesado, mas mesmo assim quero ler o livro. Depois dele leio o segundo para saber das impressões do autor, que aparentemente se tornaram mais imparciais devido tempo transcorrido e reflexões.

    ResponderExcluir
  18. Nunca tinha ouvido falar desses livros, geralmente eu tento fugir do tema Holocausto justamente pela carga pesadíssima que ele carrega, quando eu leio algo assim fico um bom tempo em uma pseudo depressão kkk
    Mas eu pretendo pegar um livro assim no futuro, e esse parece tão pessoal, Os afogados e os sobreviventes e É isto um homem? vão ser uma boa opção sim.

    ResponderExcluir
  19. Ei Andrea!
    Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas só pelo o que você comentou já espero uma leitura pesada e cheia de momentos com alta carga emocional. Esses livros são complicados de se ler. Eu o faria em doses homeopáticas, porque ia me abalar muito e trazer reflexões.

    Beijos
    Aline
    Memórias Literárias

    ResponderExcluir
  20. Oi, Andrea!
    Confesso que não conhecia este livro muito menos o autor. E esse não é o tipo de livro que normalmente me chama a atenção e me faz querer lê-lo.
    O que me chamou a atenção nesta obra porém foi a carga emocional que você diz que o autor possui. Isso me prende a leitura.
    Ainda estou na duvida se esse livro seria uma boa leitura para mim, me parece ser bastante reflexivo porém como não estou acostumada ao gênero, acho que empacaria um pouco com a leitura!

    ResponderExcluir
  21. Nossa, realmente deve ser um livro bem difícil... Há muita crueldade nas páginas, tenho certeza disso. Deve ser uma leitura bem complicada, espero um dia ter a oportunidade de ler.

    ResponderExcluir
  22. Oi Andrea
    Parece realmente que a leitura deve ser bem densa pois se trata de um tema be dificil. Deve ser muito triste também, pois retrata a crueldade de como os judeus foram mortos e tudo mais.

    Bj
    http://www.meupassatempoblablabla.com/

    ResponderExcluir
  23. Oi!
    Ainda não conheci esse livros, mas fiquei bem interessada em Os afogados e os sobreviventes e É isto um homem?, ainda não li nenhum livro com esse tema, mas mesmo sendo uma leitura mais pesada, os dois livros me deixaram curiosa e achei interessante ele retratar esse período pós guerra !!

    ResponderExcluir
  24. Sua resenha está muito boa!
    Eu não conhecia este livro, lendo sua resenha e a sinopse do livro tirei a conclusão que a história do livro não faz muito meu estilo de leituras, então, no momento não pretendo ler, quem sabe futuramente.

    ResponderExcluir
  25. olá!
    não conhecia a obra, porém o tema me chama bastante atenção, nunca li nada tão pesado quanto esse e com certeza leria algo assim. Adorei a resenha!
    bjs xxx
    lendocomela.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Espero que tenha curtido a postagem! Volte mais vezes :D