EU VI || Eu Matei Minha Mãe

3 de mar de 2016






Ficha Técnica

Original: J'ai Tué ma Mère

Dirigido por: Xavier Dolan
Ano: 2009
Duração: 96 minutos
Classificação: 14 anos
Trailer: YouTube (legendado)






Olá, pessoas. Vim indicar hoje um filme canadense muito lindo. Eu não sei quantas vezes eu já falei isso, mas eu sou uma pessoa meio estranha. Meu gosto para literatura é meio fora do comum, assim como meu gosto para filmes, séries, músicas, pinturas, etc. Então estou sempre buscando aquelas coisas esquisitas que quase ninguém mais vê/ouve/assiste. Esse filme já estava na minha lista do Netflix há uns bons meses. Achei interessante, mas fiquei com um pezinho atrás por causa desse título levemente sugestivo e deixei ele para um dia em que estivesse mais no “clima”. Acabou que buscando algo para passar o tempo, me deparei com ele de novo e resolvi aceitar que a vida queria que eu assistisse esse filme logo. E um pequeno aviso: Gente, pelo amor, eu não sou especialista de nada, muito menos de filme. Essas são só as minhas impressões.

Eu Matei Minha Mãe é dirigido, roteirizado, produzido e atuado por Xavier Dolan quando ele tinha apenas 20 anos (sim, eu fiquei levemente deprimida com essa informação). Ele já tinha atuado antes, mas esse foi seu primeiro filme com esse "super combo". A sinopse é basicamente o relacionamento complicado entre um rapaz de 16 anos chamado Hubert e sua mãe, Chantale. Segundo a sinopse do Netflix, também é um pouco autobiográfico.

Essa parte doeu um pouquinho :/

Eu adorei o filme, de verdade. Achei um filme bem diferente, com gostinho de filme francês (que eu adoro <3). Hubert é homossexual, namora Antonin que tem uma mãe super liberal e gosta de arte. Chantale, sua mãe, trabalha fora, tem um gosto duvidoso para roupas, e está tão perdida na relação mãe e filho quanto ele. É uma relação de amor e ódio entre duas pessoas que não sabem se comunicar.

Fui pesquisar mais sobre o filme, e uma das coisas que me incomodou foi a crítica ao personagem de Hubert. Sim, ele é mimado, revoltado com pouca coisa e agressivo. Mas ele tem 16 anos e, convenhamos, todo adolescente é meio chato (uns mais, outros menos). E eu gostei justamente disso: não tem um certo e um errado na história. Os dois, tanto Hubert quanto Chantale não sabem se comunicar e dificultam a relação.

Uma parte da cena do dripping <3

O romance entre o protagonista e Antonin é bem fofo, mas não ganha muito tempo na tela. Destaque para a cena em que ambos vão pintar (acho que o nome certo é dripping, mas ia ficar uma construção frasal esquisita e deixei pintar mesmo) o escritório da mãe de Antonin (coloquei uma foto, mas a sequência toda é maravilhosa, acreditem). No final do filme até senti falta de mais participação dele, mesmo que o foco não seja o romance e sim a relação maternal.

O filme tem um ritmo mais lento, como a maior parte das películas que tratam de relações interpessoais. Eu, particularmente, prefiro assim. Mas como não é longo (tem cerca de uma hora e meia), não creio que seja cansativo para quem prefere filmes mais agitados.


Fica a dica então para vocês. Acho que todo mundo já teve algum conflito com a mãe, o que acaba aproximando um pouco mais a história da vida real (claro, ali é bem mais intensificado, mas vocês entenderam). Espero que vocês deem uma chance e gostem tanto quanto eu.

Abraços e até a próxima.


19 comentários:

  1. Tem na netflix? Se tiver vou tirar um tempinho para ver.
    Vou ver se gosto, pois não gosto muito de filmes lentos, mas pelo tema tratado vou tentar ver esse.
    bjs, bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá,

    gostei da premissa, não tinha conhecimento desse filme e olha que é de 2009. Vou procurar saber mais sobre o filme pois não gosto muito de filmes parados. www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oii!
    eu vi uma reportagem sobre o diretor, e descobri esse filme. Desde então estou loca para assistir, assim como outros filmes do mesmo!

    Vitória, www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir
  4. Que título pesado! Adorei a dica, verei assim que possível.

    ResponderExcluir
  5. Filmes franceses têm sempre um quê diferencial. Não conhecia o longa, mas fiquei bastante curiosa com a abordagem e o tema.

    ResponderExcluir
  6. Olá, ainda não conhecia o filme mas quando vi o título já fiquei curiosa. Pelo seu post, acho que assistiria, gosto de tramas que falem sobre dificuldades de relações familiares.

    ResponderExcluir
  7. Oiii, tudo bem?
    Eu realmente não conhecia este filme no qual me causou certo interesse, gosto de enredos que relatam muitas das vezes a realidade que muitas famílias vivem até hoje. Anotada a dica!
    Beijão

    ResponderExcluir
  8. Esse filme está na netflix e eu não vi? Caraca, como sou mouca!!!!! Olha, eu gostei muito de sua resenha sobre o filme, não conhecia e vou assistir, adoro boas indicações.

    ResponderExcluir
  9. Adorei a dica. Vou procurar para ver, pois gostei da temática. Gosto de filmes que não seja tão comerciais

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Olá, não conhecia o filme, mas me interessei, já vou procurar para uma próxima sessão pipoca ;)

    Abraços
    Literaleitura

    ResponderExcluir
  11. Não conhecia, de fato o título é bem sugestivo. Está transbordando de polemicas! rsrs Filmes franceses são sempre diferentes e surpreendentes.
    Assim que puder darei uma chance pra ele, boa dica!
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  12. O Netflix tem filmes bem legais que não damos muito atenção por não ter muita divulgação, achei bem interessante Eu Matei Minha Mãe só o nome que me fez pensar que o filme era algo de terror, mas conflito entre mãe e filho na época da adolescência é bem normal.

    Fique curiosa vou tentar ver o filme.

    http://www.coisasdemineira.com/

    ResponderExcluir
  13. Achei meio pesado, confesso que não assistiria a esse tipo de filme. Gosto de coisas mais leves, afinal, filmes são pra relaxar a gente

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Confesso que ultimamente não tenho paciência para filmes lentos, eu até diminui minha "cota" porque simplesmente me cansam muito rápido. Prefiro ver algo um pouco mais dinâmico, mas é uma boa dica para que curte o gênero.

    http://euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  15. oi, tudo bem?
    não conhecia o filme mas me pareceu bem interessante. Muitos problemas surgem da falta de comunicação, e acho legal quando isso é bem abordado na literatura ou cinema
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Olá Andréa, eu assisti esse filme faz algum tempo e adorei, como você eu tenho um gosto um pouco diferente para filmes e adoro esse que trazem conflitos de formas mais lentas e trabalhadas, também senti falta de um pouco mais do romance no filme *-*

    Visite "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  17. Olá Andréa! Vou dar uma pesquisada depois no Netflix. Senti aquele arrepio na espinha quando vi o título, mas depois que fui lendo suas impressões me deu vontade de assistir. Parece mesmo interessante!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  18. Oiii
    Eu não conhecia esse filme, mas com certeza verei! Gosto muito de filmes que trazem conflitos reais em debate.
    Bjus

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Nunca ouvi falar desse filme, achei bem interessante e diferente. O nome chama muito a atenção. Irei procurar para assistir!

    Beijos!
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br//

    ResponderExcluir

Espero que tenha curtido a postagem! Volte mais vezes :D