OPINIÃO || Demian de Hermann Hesse

14 de jan de 2016




Demian - Hermann Hesse

Original: DEMIAN – Die Geschichte von Emil Sinclairs Jungend
Páginas: 196
Ano: 2015
Editora: Record
Encontre aqui: Skoob | Buscapé 

*Livro cedido em parceria com a editora





Olá, pessoas. A recomendação de hoje é um livro para a listinha de livros “sair da zona de conforto” (a não ser que você seja expert em literatura alemã, mas aí provavelmente você já leu e pode me dar uma aula sobre isso). Eu já tive contato com o autor quando li “O Lobo da Estepe” e fiquei fascinada pela história e pelo escritor. Segundo alguns estudiosos, “Demian” é como se fosse a primeira parte de “O Lobo da Estepe”, e faz bastante sentido, mas você pode ler como histórias isoladas. A premissa desse livro é até simples: Emil Sinclair descobre, desde bem jovem, que existem dois mundo: o bom e luminoso e o mau e sombrio. Assim, ele conhece Max Demian, um jovem que o ajuda nessa jornada de autoconhecimento.

"Queria apenas tentar viver aquilo que brotava de mim mesmo. Por que isso me era tão difícil?" (p. 111).

Os livros de Hermann Hesse não são recheados de ação, são mais contemplativos. O autor, até por sua formação eclesiástica e por ter trabalhado em livraria, insere em suas obras muito de filosofia, teologia e de psicanálise. Quanto mais você souber sobre esses assuntos, melhor vai ser seu entendimento sobre o livro. Mas o mais importante é ter a mente aberta, porque é uma história profundamente questionadora, principalmente no que diz respeito às descobertas interiores, quando estamos buscando quem somos e o nosso lugar no mundo. Por isso o acho um livro atemporal e que pode ser lido por qualquer pessoa que goste de sair da zona de conforto de vez em quando.

"Também se pode ser feliz assim; mas quando se chega a conhecer o outro, torna-se impossível seguir o caminho da maioria. O caminho da maioria é fácil; o nosso, penoso." (p. 130).

O personagem principal, Emil Sinclair, começa narrando uma parte muito específica de sua infância, que o faz divisar o mundo em dois: o lado luminoso e o lado sombrio. Depois de tal acontecimento, ele fica preso em uma situação incômoda, até que surge Max Demian, um garoto que pensa de maneira diferente de todos que ele conhece e o ajuda com o problema que o protagonista estava envolvido. A partir de então, eles viram amigos e Demian passa a compartilhar seus pontos de vista e conhecimentos com Sinclair, que vai crescendo e entra numa busca interna para determinar seu lugar no mundo. Emil Sinclair é um personagem muito parecido com todos nós: cheio de dúvidas, inseguranças e escolhas erradas. A identificação com ele é quase imediata, mesmo ele sendo um garoto burguês alemão do início do século XX. Os questionamentos, as dúvidas, são todas muito contemporâneas e muito pertinentes para os jovens de todas as gerações que conheço. Já Max Demian é uma figura que eu senti muito próxima do Lorde Henry de “O Retrato de Dorian Gray”, uma pessoa quase amoral, guiando um jovem segundo suas crenças peculiares do mundo (e, claro, já entrou para o meu hall de melhores personagens literários).


Acho bom deixar avisado que, da forma como eu vejo, os livros de Hermann Hesse são livros para reflexão. Te fazem questionar algumas coisas, te colocam para pensar. De ambas as leituras, saí com uma mudança de visão do mundo que me cerca e ainda acho que preciso ler mais vezes para aproveitar tudo que eles tem para me oferecer. Se esse não é o tipo de leitura que te agrada, aconselho evitar. Mas se o seu objetivo é uma leitura não apenas centrada na diversão, então não perca tempo. Espero que vocês possam dar uma chance ao Hermann Hesse e seu mundo onírico.


Abraços e até a próxima.


23 comentários:

  1. Eu só li um livro de Hesse, há muitos anos, chamado Gertrude. Achei bem legal, mas acabou que nunca mais peguei nenhum livro dele para ler. Por nada, só não procurei mesmo. Mas o que eu queria comentar mesmo é entrei aqui e vi na sua barrinha do skoob que você está lendo Jonathan Strange e Mr Rorrel. Uma coincidência, eu também estou lendo ele.

    ResponderExcluir
  2. Acho que tudo que andamos precisando são livros para sair da zona de conforto. E falo sério, enjoei de tanto ver resenha dos mesmos livros.
    Não conheço literatura alemã - mais é bom ter indicação. Livros que me fazem pensar, me fazem questionar são sempre bem vindos e com certeza excelentes leituras.
    Esse livro deve ser incrível.
    Traga mais livros assim ♥

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  3. Amei a resenha e o livro, AEEEW, adoro livros reflexivos, fiquei com muita vontade de ler. Anotado em minha lista.
    https://www.youtube.com/channel/UCzcZ246xXBTcn3f4UyOtcEg
    Lucas Castelo Viana

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Estou realmente precisando de livros para sair da zona de conforto e pelo seu texto, Herman Hesse parece ser uma ótima pedida. Faz tempo que não leio algo assim, mais contemplativo.
    Bjs!
    Quem Lê, Sabe Porquê

    ResponderExcluir
  5. Oi Andréa, tudo bom? Então, é como você falou, tem que arriscar e sair da zona de conforto né? Essa não é o tipo de leitura que eu estou acostumada a fazer, mas como é algo meio filosófico e reflexivo eu acho que leria sim!Não conheço nada da literatura alemã e a premissa em si, essa questão do bem e do mau, sempre me chama a atenção. Bjossss


    http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá Andrea!
    A leitura me pareceu peculiar e inteligente, acredito que não seja um livro de fácil compreensão, mas com certeza um bom livro para criar e rever conceitos. Gosto muito de filosofia e talvez até me dê bem com a leitura, com certeza colocarei na lista para uma suposta retirada da zona de conforto.

    Beijokas

    ResponderExcluir
  7. Oi. Terminei de ler esse livro semana passada e apreciei muito, o autor fala muito de Psicologia Junguiana, inclusive, chegou a ser atendido pelo próprio Jung. Essas parcas da psicologia são bem presentes em Demiam.

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia o livro e nem o autor, e apesar da sua resenha muito boa esse não seria um livro que eu leria, talvez só como ultima opção.

    ResponderExcluir
  9. Esse livro parece realmente interessante, já até adicionei no skoob. Sempre gosto de descobrir novos livros, principalmente aqueles que nos fazem pensar, como esse parece ser. Nossos gostos para personagens são parecidos, algo me diz que também vou amar o Max Demian.

    Obrigada pela dica e parabéns pela resenha.

    Bjs.

    http://ciadoleitor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Andréa, não li nenhum livro do autor e achei a ideia bem interessante, principalmente a parte que você disse que o livro tem uma pegada mais reflexiva.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  11. Não li nada desse autor ainda, livros que nos fazem pensar é disso que todos nós precisamos além da diversão de imaginar. Essa indicação é muito importante para mim, pois estou lendo um livro parecido que parece ler minha mente.Gostei bastante!Bjs

    ResponderExcluir
  12. Adorei sua resenha! É a primeira que leio sobre Demian e fiquei encantada com todos seus elogios sobre ele. Fiquei imensamente curiosa com esse enredo menos "movimentado". Acho que irei gostar muito.
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  13. Livros reflexivos são ótimos mesmo, sem duvida. Nunca tive uma experiencia com a literatura alemão, mais sua resenha me deixou com desejo de ler esse livro.

    ResponderExcluir
  14. Em minha plena opinião,
    os livros foram feitos para passar essa visão do mundo e quando você chegar na ultima página... você tenha muito mais em sua mente do que quando pegou a primeira página. Adoro livros que tiram da zona de conforto e me deu uma vontade imensa de ler

    ResponderExcluir
  15. Oie
    nossa, não conhecia o livro mas parece ser bem legal, o tema está chamativo, espero poder ler em breve e gostar tanto quanto você

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oiii
    Esse livro é para sair da zona de conforto mesmo! Adoro livros que fazem a gente pensar mais e a questionar. Vou procurar o livro, quero muito entrar nessa história.
    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Oiii.
    Parece ser um livro rápido de ser lido, gosto muito de livros que provoca reflexão e faz pensar. Fiquei curiosa.
    Bjs :) :)
    http://leiturasdamary.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Oi, Andrea, tudo bom?
    Gostei bastante de sua resenha, mas fiquei com uma dúvida: realmente existem dois mundos ou isso é apenas a visão metaforizada de uma criança?
    Aliás, nunca li nada que seja que seja de origem alemã, acho, mas tenho bastante vontade. Adoro livros que nos fazem refletir e os livros desse autor já entraram para minha lista de desejados!
    Beijos,
    http://www.quinzeinvernos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jessica. Desculpa a demora :/
      É a visão do personagem, é assim que ele divide o mundo. Ele acaba dividindo o mundo em dois, junto com a sua visão, e cada cenário representa um lado (ou o bom e o mau). Não sei se consegui te explicar. E desculpe pela demora, de novo.
      Abraços.

      Excluir
  19. Olá!
    É sempre bom sair da zona de conforto, eu estou precisando. Não conheço o livro e nem o autor. Livros onde personagens buscam o autoconhecimento são ótimos e nos fazem refletir sobre nós mesmo. Irei colocar na minha lista e espero ter a oportunidade de ler em breve!

    Beijos!
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br//

    ResponderExcluir
  20. De fato, precisamos sair da zona de conforto mas mesmo com sua avaliação, o livro não me atraiu nenhum pouco, talvez seja por eu estar lotada de livros que quero ler mas quem sabe um dia eu não leia? É sempre bom ler coisas novas! Beijos

    ResponderExcluir
  21. Olá, tudo bem? Achei o livro bem reflexivo, mas ainda não estou pronta para sair da minha zona de conforto. haha bjs

    Os Segredos dos Livros

    ResponderExcluir

Espero que tenha curtido a postagem! Volte mais vezes :D