OPINIÃO | Garota, Interrompida de Susanna Kaysen

30 de jul de 2015

Título: Garota, Interrompida.
Original: Girl, Interrupted.
Autor: Susanna Kaysen
Páginas: 189
Editora: Única Editora


Quando a realidade torna-se brutal demais para uma garota de 18 anos, ela é hospitalizada. O ano é 1967 e a realidade é brutal para muitas pessoas. Mesmo assim poucas são consideradas loucas e trancadas por se recusarem a seguir padrões e encarar a realidade. Susanna Keysen era uma delas. Sua lucidez e percepção do mundo à sua volta era logo que seus pais, amigos e professores não entendiam. E sua vida transformou-se ao colocar os pés pela primeira vez no hospital psiquiátrico McLean, onde, nos dois anos seguintes, Susanna precisou encontrar um novo foco, uma nova interpretação de mundo, um contato com ela mesma. Corpo e mente, em processo de busca, trancada com outras garotas de sua idade. Garotas marcadas pela sociedade, excluídas, consideradas insanas, doentes e descartadas logo no início da vida adulta. Polly, Georgina, Daisy e Lisa. Estão todas ali. O que é sanidade? Garotas interrompidas.



Olá, pessoas. Aqui é a Andréa e hoje vou falar desse livro maravilhoso de memórias autobiográficas. Passei anos querendo ler esse livro antes de ver o filme e foi uma surpresa maravilhosa. O filme, que ganhou Oscar e tudo, tem um elenco maravilhoso: Winona Ryder, Angelina Jolie, Jared Leto, Brittany Murphy, Whoopi Goldberg e mais um monte de gente maravilhosa que era sucesso nos anos 1990 (aqui o trailer para quem quiser conferir: https://www.youtube.com/watch?v=9mt3ZDfg6-w). Enfim, a história começa com a autora do livro, que aos 18 anos, tentou suicídio e foi internada em um hospital psiquiátrico, lá na década de 1960, e esse é um relato das coisas que ela passou por lá.


“Olhamos para ele, ali na tela de TV, um homem pequenino, escuro e acorrentado, mas que tinha algo que sempre nos faltaria: credibilidade.” (p. 107).

Esse é um livro bem curtinho, de leitura muito rápida. Os capítulos são curtos, a escrita direta e sem floreios e intercalado com a história temos guia de internação, ficha de diagnóstico, relatório da enfermeira, carta do psiquiatra e essas coisas que ajudam a ambientalizar a história de Susanna. Ou seja, a leitura é extremamente rápida, por exemplo, eu terminei o livro com duas horas de leitura direta. As personagens são fascinantes. Algumas têm problemas bem sérios, outras nos fazem questionar os critérios de internação em instituições como essa (e trazendo para um assunto mais atual, os critérios para receitar esses remédios pesadíssimos para as pessoas). Minha personagem preferida é a Lisa, que é sociopata e cativante (quem interpretou o papel no cinema foi a Angelina linda Jolie). Mas a gente tem o que pensar sobre cada uma delas, as personagens femininas são todas muito fortes e reais – tenho certeza que vocês vão acabar reconhecendo traços de alguma amiga ou até seus enquanto lê – e quase não temos figuras masculinas (mal, mal um pai ou um namorado de vez em quando). Mas além de ser um livro que trata sobre assuntos psicológicos, trata também sobre juventude, principalmente dessa juventude dos anos 1960, que me deu a impressão de jovens são jovens independente do tempo histórico ou do lugar em que estão, já que muitos dos questionamentos que encontrei no livro são questionamentos da minha geração também.





“Ao sair da loja, meu olhar cruzou com o dele. Ele me olhava com tamanha intimidade que cheguei a me encolher. Seu olhar dizia: “Eu sei o que você é”. O que éramos, afinal, que todos sabiam tão depressa e tão bem?” (p. 142).

É um livro que acaba prendendo sua atenção muito rápido, e não dá vontade de parar de ler. A história é tão envolvente e sedutora quanto as personagens, e fica aquela impressão de que se trata sobre alguém próximo da gente. Não é uma história bonitinha (eu e minhas recomendações “osso duro de roer”), é bem reflexiva, não tem reviravoltas nem ação acontecendo, mas tem um final um tanto quanto esperançoso, pelo menos na forma como vi o livro. Pesquisando no skoob, descobri que ele entra na categoria de sick-lit (não entendo muito dessas categorias novas, me desculpem), então quem gosta desse tipo de leitura vai adorar. Mas para além disso é uma boa pedida para todos, já que nos mostra o outro lado, nos faz entender melhor e parar de pré-julgamentos com as pessoas que sofrem com doenças psiquiátricas/psicológicas.


 Abraços e até a próxima.


16 comentários:

  1. Eu gostei muito desse livro, tirei muitos quotes dele, mas esperava um pouco mais dele. Ainda não consegui ver o filme, mas estou louca para ver a Diva Angelina Joeli nesse filme. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nem cheguei a marcar muitos quotes, mas foi porque estava tão imersa na leitura que mal lembrei de marcar alguma coisa. Vou ver o filme no domingo, estou curiosíssima também. Acho que gostei tanto por ele ser bem direto, sem rodeios. Me chama muita atenção esse tipo de escrita.

      Abraços.

      Excluir
  2. Não conhecia o livro , mais sua resenha me fez muito querer lê-lo , eu particularmente sou apaixonada por livros que nos fazem refletir e enxergar as coisas de uma outra forma.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que consegui instigá-la. Esse livro é muito bom para reflexão, de fato. Espero que goste.

      Abraços

      Excluir
  3. Olaa
    Tenho curiosidade pelo livro pois adoro essas pegadas que chamam mais a atenção, ótima dica, tentarei ler.

    Beijos
    Reality of Books

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Minha amiga gosta muito desse livro e vive me indicando, apesar do livro se tratar de temas que goste de ler - não me ache um doente viciado em suicídios - e de ser bem fino, ainda não dei uma chance a ele, mas com o seu reforço, com certeza lerei.

    Adorei a resenha, beijos!
    http://marcasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bom?

    Gostaria de dizer que: VOCÊ ME CONVENCEU A LER ESSE LIVRO. Obrigada, sua linda. Eu tenho um preconceito gigantesco com o livro - apesar de nunca ter me dado o trabalho de ler sequer a sinopse - por conta do filme, que tem a Angelina (ela não é a protagonista?! chocada), uma atriz que eu acho muito supervalorizada. Sorry.

    Porém ler essa resenha me fez perceber que esse é exatamente o meu tipo de livro. Sinto que vou gostar, que vai ser uma daquelas leituras que vai me deixar pensando na vida por um bom tempo. Nossa... Obrigada. Amei forte.

    Fernanda Oliveira | Meraki

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Acredita que eu não sabia que esse livro era autobiográfico?!
    Eu não vi o filme, embora queira muito. Adorei sua resenha, conseguiu me deixar curiosa, e olha que não curto livros com teor biográficos. Fiquei mais curiosa pela década em que a história se passa, e como devia ser o tratamento psicológico na época, e a reação social a isso.
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi;
    Gosto de livros diretos, que não enrolam pra desenvolver o assunto abordado, e garota interrompida é bem elogiado, mas ainda não tenho vontade de fazer essa leitura por ser uma história real bem densa.

    Beijos.
    Leituras da Paty


    ResponderExcluir
  8. Oii!

    Não conhecia o livro e infelizmente ele não me chamou a atenção :/ A capa é bem bonitinha e a sua resenha ficou ótima ^^

    Beijos, Amanda
    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir
  9. Oiee.

    Ás vezes quero e ás vezes não quero ler este livro. Por sua opinião acredito que não leria, mesmo sendo um livro que prende nossa atenção, pois estou em busca de livros cheios de reviravoltas e grandes surpresas

    Beijos
    http://www.amorliterariooriginal.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?

    Eu já tentei ler este livro, mas não consegui. Mais ainda quero ler, pois tenho muita curiosidade de saber como acaba essa história. Também quero assistir o filme.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Andrea, tudo bem?

    Eu ainda não li esse livro, mas sempre vejo resenhas muito bacanas. Eu não sabia que o livro era tão curtinho assim, pensei que fosse um pouco mais extenso.

    Não sabia que esse livro era autobiográfico, fiquei surpresa com a informação.

    Adorei a sua resenha, mas o gênero não faz muito o meu tipo.

    Beijos,

    http://www.lendoeesmaltando.com/

    ResponderExcluir
  12. Eu já ouvi falar bastante desse livro, mas nunca tive muito interesse em fazer a leitura dele. Espero poder ler assim que tiver oportunidade. Gostei muito da sua resenha. Mas eu acho que pegaria para ler sim. Já é uma dica, já que nunca sei o que pedir para a editora =x rs

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi Andréa,
    Acho espetacular o tema deste livro e como a história é contado, porém ao contrário de vc, n me prendeu nem um pouco, n sei explicar, não foi um livro q curti, quero ver o filme p ver se eu gosto!
    Bjos
    Aline Praça
    www.leituravipblog.com

    ResponderExcluir
  14. Oi Andréa, sempre tive curiosidade em ler esse livro, parece ter uma premissa muito interessante e sem contar que acho essa capa muito linda!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir

Espero que tenha curtido a postagem! Volte mais vezes :D