OPINIÃO | Agência de Investigações Holísticas Dirk Gently de Douglas Adams

23 de jun de 2015


Título: Agência de Investigações Holísticas Dirk Gently
Original: Dirk Gently’s Holistic Detective Agency
Autor: Douglas Adams
Páginas: 240
Editora: Arqueiro

*Livro cedido em parceria com a editora

Richard MacDuff é um engenheiro de computação perfeitamente normal que sempre se comportou muito bem, obrigado, até o dia em que deixa uma mensagem equivocada na secretária eletrônica de sua namorada, Susan Way. Arrependido, toma a decisão mais natural possível: escalar o prédio dela e invadir seu apartamento para roubar a fita com a gravação. Na vizinhança, Dirk Gently bisbilhota os arredores com seu binóculo quando presencia o ato tresloucado do antigo colega de faculdade e decide entrar em contato para lhe oferecer seus serviços investigativos. Depois de uma série de acontecimentos bizarros, o detetive percebe uma interconexão obscura entre a atitude estapafúrdia do amigo e o assassinato de Gordon Way – irmão de Susan e chefe de Richard, que passa a ser suspeito do crime. De uma hora para outra, os dois veem-se envolvidos num caso incrivelmente estranho, com elementos díspares e desconexos que, no final, conseguem se encaixar de forma perfeita e construir uma trama típica de Douglas Adams.



Olá, pessoas. A Andréa aqui voltou para falar de um dos meus escritores preferidos: Douglas Adams. Há cerca de 6 anos, por causa dos meus amigos nerds, conheci o autor e devorei em 1 semana a trilogia de cinco do Guia do Mochileiro das Galáxias. De lá para cá, já reli esses livros algumas vezes, e continuo me divertindo tanto quanto antes. Agora, a Arqueiro resolveu publicar as histórias relacionadas ao detetive particular Dirk Gently. Essa é a primeira que foi publicada originalmente na década de 1980. Um alerta para pessoas que não gostam de spoiler: NÃO leiam a sinopse do livro na contracapa (ou a versão do skoob, que foi tirada da contracapa). Vocês vão receber um spoiler que pode estragar uma parte de suspense da história.



“Os cavalos compreendem muito mais do que deixam transparecer. É difícil ser montado o dia inteiro, todos os dias, por outra criatura e não formar uma opinião a respeito dela.” (p. 8).

Essa não é uma história muito linear. São pedaços de algumas histórias que, inicialmente, não parecem muito correlacionados. Mas conforme for avançando na leitura, você vai percebendo que tudo tem um motivo para estar ali. Nada fica solto. Mas aconselho prestar mais atenção aos fatos no começo, faz diferença no final. Começa com um Monge Eletrônico que acredita que o mundo é rosa com sua égua que forma muitas opiniões, depois vem uma visita de um ex-aluno à sua antiga faculdade, acontece um crime, tem uma invasão de uma cara no apartamento da namorada e aí vem um detetive bizarro que acha que tudo isso tem uma conexão. 





Os personagens são interessantes, apesar de ser difícil de se identificar com algum deles. Richard MacDuff, um dos personagens principais, é um cara normal. Não há nada que faça você se interessar nele no começo. Até que, por causa de um recado na secretária eletrônica de sua namorada (nem sei se isso existe ainda, mas é o que as pessoas tinham que fazer para deixar uma mensagem quando a outra pessoa não atendia a ligação antes de existir o SMS, o Whatsapp, e os outros aplicativos de mensagem), ele decide escalar o prédio dela para roubar a gravação. O outro personagem principal, Dirk Gently (o melhor personagem na minha opinião), é um ser caótico, para dizer o mínimo. Ele não se preocupa em fazer sentido, só vai convencendo as pessoas que o que ele está fazendo é importante de alguma forma e assim vai descobrindo o que conecta todas as histórias, e consequentemente o culpado do crime. Ah, e ele mente o tempo todo. O outro personagem com importância crucial da história é o Professor Régio de Cronologia, que se chama Reg. Um professor que nunca foi professor, que adora fazer truque de mágica e que adora chá (como todo bom britânico dos livros de Douglas Adams). Os outros personagens tem sua importância, mas o foco é nesses três.

“Fico extremamente transtornado quando descubro que sei algo mas não sei por quê. Talvez seja o mesmo tipo de processamento de dados instintivo que permite a uma pessoa apanhar uma bola quase no instante de vê-la no ar. Talvez seja o instinto mais profundo e inexplicável que o alerta quando você está sendo observado. É uma enorme ofensa ao meu intelecto que as mesmíssimas coisas que me fazem desprezar outras pessoas por acreditarem nelas venham a acontecer comigo.” (p. 181).



É um livro engraçado, mas exige certa atenção. Não dá para contar muito da história por causa dos spoilers. Recheado do humor britânico, extremamente irônico e crítico, é bom já ir se preparando para alguns temas um pouco polêmicos. E se sua posição religiosa é muito estrita, aconselho se preparar: Douglas Adams era ateu, e nesse livro fica muito claro esse posicionamento do autor. Não tem nenhum ataque direto, mas algumas alfinetadas aqui e ali em alguns costumes religiosos. Então, vá preparado para encontrar uma história muito engraçada, mas bem crítica também.




Abraços e até a próxima.

21 comentários:

  1. Andréa, estou louca pra ler esse livro desde que vi o kit fofíssimo que a editora enviou para os parceiros. Eu infelizmente não sou parceira da Arqueiro, mas espero ser um dia! :)
    Um abraço,
    www.literasutra.com

    ResponderExcluir
  2. Olá, Monalisa. Um dia você consegue, tenho certeza. Gabriela solicitou porque sabe do meu amor pelo Douglas Adams, e eu adorei. Espero que goste também.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Amiga eu comprei esse livro de tanto que as pessoas falaram bem dele.
    E sinceramente eu não estou dando muita expectativa para não me decepcionar.
    Estou esperando um momento para ler sem pressão.
    Ai eu vejo o que irei achar da história, porque pela sua resenha eu gostei bastante de tudo que você falou sobre o livro, até porque vc já teve um contato com a escrita dele, mas eu nunca tive. Já tive interesse de ler aquela série anterior dele do Mochileiro, mas nunca li. Mas enfim...Espero poder gostar. Que esse livro pelo menos seja o inicio para outras leituras que virei a ter do autor. =]

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/06/resenha-lista.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Silvana. Eu faço muito isso também, quando é um livro muito falado, é um dos motivos para eu não ter lido "A culpa é das estrelas" do John Green, por exemplo. Não acho que faz muita diferença ter tido contato antes, acho que é questão de identificação mesmo: eu adoro a escrita Douglas Adams, leria até a lista de supermercado dele. Espero que você goste, de verdade.

      Abraços.

      Excluir
  4. Olá!
    A capa e a sinopse me atraiu bastante. Mas não estou tão confiante na leitura hahaha Mas darei uma chance ao livro. Parabéns pela resenha.
    Beijos, Nathália

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Nathália. Dá uma chance sim, a gente nunca sabe se gosta ou não até tentar. Espero que, ao menos, se divirta com ele. Muito obrigada.

      Abraços.

      Excluir
  5. Ei Andrea,
    Este livro n me conquistou com a sinopse qd recebi os lançamentos da editora, mas sabe que gostei da sua resenha? Acho q posso gostar do livro principalmente pelo fato de ser uma leitura leve e descontraída.
    Bjos!
    Aline Praça
    www.leituravipblog.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Aline.
      Obrigada pelo elogio. É bem leve e descontraído mesmo e a leitura é rápida, é bom para quando a gente quer ler uma coisa mais engraçadinha. Espero que goste.

      Abraços.

      Excluir
  6. Olá, tudo bem? Nunca li nada do autor, Mas que legal que una história escrita em 1980 está sendo publicada pela Arqueiro. O livro parece ser meio louco e não faz muito o meu estilo, por outro lado, parece ser muito bem escrito e crítico, o que faz com que apareça uma certa curiosidade! Não gosto quando colocam spoiler na sinopse, uma pena encontrar nessa obra.
    Beijos

    Mari
    cantinhodeleituradamari.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mariana.
      Eu sou suspeitíssima para falar, eu adoro o Douglas Adams. Mas acho que, se puder, deveria investir na leitura. É sempre bom descobrir coisas novas. Também fico muito feliz com a Arqueiro por estar publicando os livros dele, mesmo com tanto tempo de lançamento da obra original. Eu não me incomodo com spoilers, mas é sempre bom avisar, a maioria das pessoas não gostam mesmo.

      Abraços.

      Excluir
  7. Eu quero muito ler esse livro, adoro histórias que não são lineares e exigem atenção do leitor. Sem contar no jogo linguístico que soube que o autor fez :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lilian.
      Sim, é excelente para forçar nossa atenção e te dá uma dimensão diferente sobre a história, o que é ótimo. Com relação ao jogo linguístico, eu li a tradução, então boa parte disso se perdeu, infelizmente. Mas pretendo ler em inglês algum dia. A escrita do Douglas Adams é realmente muito boa, fiquei curiosa com relação aos jogos linguísticos.

      Abraços.

      Excluir
  8. Olaa
    Não é um livro que quero pois não faz meu gênero mas tenho amigos que lêem e amam histórias assim e estão loucos por essr.

    Beijos
    Reality of Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Catharina.
      Sei bem como é. Espero que seus amigos leiam e divirtam-se tanto quanto eu enquanto lia.

      Abraços.

      Excluir
  9. Oii Andréa!

    Parabéns pela resenha! Amei seu blog ^^ Muito lindo e fofo!
    A capa do livro é muito bonita e divertida e gostei muito da sinopse e acho que irei ler ele quando tiver dinheiro para comprar hahahaha

    Beijos, Amanda *----*
    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Amanda.
      O blog é da Gabriela, eu sou apenas uma das colunistas. Mas muito obrigada pelos elogios. A Arqueiro arrasou na edição mesmo. Espero que se divirta na leitura.

      Abraços.

      Excluir
  10. Olá... percebi sua empolgação durante a resenha, é muito bom quando lemos livros dos nossos autores favoritos e sempre gostamos... eu não me interesso pelos livros do autor... nunca me senti motivada a ler... a temática não rola comigo, então vou deixar a dica passar... Xero!

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem?
    Eu nunca li nada do autor, e apesar de ter um pouco de curiosidade, esse não é um livro me me chame a atenção no momento.
    Gostei de saber que o autor não deixa pontas soltas. Esse é uma falha que muitos que tenham fazer tramas não lineares cometem
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem? Eu não conhecia este livro, mas gostei muito da sua resenha. O livro parece ser muito bom, pelo menos foi essa impressão que você passou na resenha. Espero poder ler em breve.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi Andréa!
    A sinopse do livro é interessante, mas a história parece ser confusa. Não sei se teria paciência de ler até o fim, rs.
    Beijos

    http://tudoqueeuli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Adoro a escrita do Douglas Adams, super quero esse livro. Parabéns pela resenha.
    Abraços,
    Matheus
    Apocalipse Literário

    ResponderExcluir

Espero que tenha curtido a postagem! Volte mais vezes :D